domingo, 31 de janeiro de 2010

To be or not to be.........uma palpiteira!?!

Quando eu era mais nova, tinha horror à palpites, nao importava a natureza ou o dono, tirando Rê, que sabia levar meu mau humor  e grosseria na flauta, eu soltava fogo a cada palpite recebido la em casa.
  As vezes ia sair pra faculdade, estava toda felizinha quando ouvia minha mae soltar um "voce vai sair assim? Vai aonde? Ta cafona hein!"......nossa, ficava possuida! Eu sempre respondia que nao tinha pedido opiniao alguma, e por mais que eu tivesse personalidade o suficiente pra sair dali sem trocar a roupa, nao saia mais toda felizinha e nem me achando, o que eu pensava ser a polvora, tinha se transformado num fiatlux usado!

  Depois de ser mae (olha a frase ai hauhauhauhuhaua), eu percebi que a gente automaticamente entra no papel de palpiteira, é horrivel.....troço automatico! Voce encontra uma amiga, cada uma com sua cria e ela comenta que ele faz birra na hora do banho, la vai voce com a soluçao magica.......outra comenta que o filho nao esta se adaptando à papinhas, voce da um conselho maneiro e pra inflar mais seu ego de supermaemultiuso, voce ainda recebe um valeu da amiga pois depois do seu conselho o baby raspou o prato e tudo deu certo!

 O problema é que se nao rolar um equilibrio, voce pode se transformar na chata, aquela que tem palpite pra tudo (pior que a gente tem mesmo né!), naquela mae chata que sabe de tudo e que mesmo que nao seja verdade, as outras que recebem sua chuva de palpites , acham que voce se acha a ultima mae de Jerusalem!

    Mas olhando pelo lado da mae palpiteira, rola tambem um desconforto e a duvida, falar ou nao falar?
Antes, no meu circulo intimo, somente eu era mae....hoje tenho primas com filhos, outra gestante e amigas tambem entrando nesse mundao, como ja estou no terceiro guri, passo boa parte do tempo lendo sobre crianças, babies, puericultura e pedagogia, virei uma biblia ambulante de megaultradicas pra TUDO, ou quase  tudo porque a adolescencia ainda esta longe, fora outras passagens, mas de puericultura, como ja errei, li, testei e vi o que da e nao da certo , ja acumulei uma boa quantidade de pontos no jogo.
  Como dizer aquela pessoa proxima, que a formula magica que ela esta usando e transmitindo, aprovada por uma pessoa que se diz pediatra (gente, acordem!!!! Pediatra é pra tratar doenças, a maioria nao saca NADA de puericultura, alimentaçao infantil entao cometem erros mega basicos), pode ser a furada do século pro baby dela?
   Ok, cada uma tem seu estilo e muito é questionavel, como questao de sono, apego, mas tem coisas que toca no ambito da saude e alimentaçao e que tem sim o certo....e ai, voce da a super dica e corre o risco de ser mandada pra PQP das MMPQ ou voce fica na sua se remoendo, se culpando pois sabe que daqui a uns tempos, a consequencia vai aparecer e voce nao avisou?????
        Enfim, podem mandar palpites pois ao menos eu, estou na corda bamba sem saber se me transformo na chata de carteirinha com consciencia limpa ou se fico na minha curtindo gastrite!

3 comentários:

Mirelle Siqueira disse...

bom saber que vc tem o dom de dar palpites! quando eu começar a planejar minha gravidez, ja sei a quem vou recorrer cheia de perguntas, e no meu caso, seu bedelho podera ser enfiado em qq lugar (ops) sem problema algum! hihihi

Myria Cabanach disse...

Buenos dias Sra Juliana,

Eu acho que remoer não é legal... se a pessoa destinatária do teu "pitaco" é uma pessoa intima e amiga mesmo, acho que ela não vai levar a mal, claro que tudo depende do tom que você emprega no dito cujo.
E se ela não gostar pelo menos você estara de consciência tranqüila e no final ainda vai poder dizer o famoso: "eu avisei"... hehehehe

beijos,

Desnuda disse...

Ju,

numa conversa, num assunto que rola, acho inevitável os palpites. Rola, naturalmente e sem stress. Em casa, sei disso...E como sei! Não fujo a regra. Fui ( ainda sou com Mari) palpiteira mor e chata mesmo com as meninas ( ah, coisa de mãe!) Com Mari entãooooooooooo! Ela não aceita mesmo! Mas deve sair chateada, como você saia. Caiu a ficha rsrs. Mas a sinceridade dela comigo também ainda é pior kkkkkkkkkk
Carol, já trabalhando fico é de camarote pra ver as roupas que ela sai e vai trabalhar. Huauuuuuuuuuu! Babooooooooo com a " executiva" rsrs

Em relação a pediatra, só quem me aguentou e acertei ( porque ficou recíproco) foi o falecido dr.Wellington. Diziam que ele não aceitava palpite de mãe, era grosso...Bom, o caso é que as consultas ( que de início viravam um ringue) acabaram virando uma junta médica hahahahah Ele acabou aceitando meus palpites ( tentou resistir de início) e só me chamava de " doutora" hahahahaha. E acho que ele mudou a postura dele de médico. Foi vendo que ninguem melhor que a mãe para conhecer o organismo do filho. E passamos a ser excelentes parceiros e amigos até o seu falecimento. Beijos tamanho família.