terça-feira, 30 de março de 2010

Porque so consegui amamentar o terceiro filho????

Essa semana uma pessoa querida do meio virtual, depois de mais uma vez me ajudar dando dicas a uma amiga, me lembrou que fazendo um relato da minha experiencia e dificuldades, contando como consegui vencer barreiras e amamentar Alexandre, poderia ajudar outras pessoas.
  Essa amiga é a Andreia Mortensen, pessoa maravilhosa em varios sentidos que modera duas comunidades chave no orkut de dois assuntos importantissimos, sono e amamentaçao. Ela modera o GVA, Grupo virtual de amamentaçao, e modera tambem a Soluçoes para noites sem choro, pra quem nao teve oportunidade de conhecer ambas comunidades, valhe a pena uma passadinha por la, é um trabalho fantastico nao so dela como de outras participantes ativas onde rola muito apoio e informaçao. Foi nessas duas comunidades que aprendi muito e que hoje me permite a passar adiante esses conhecimentos e dicas!

 Fica aqui a dica:
  Soluçoes para noites sem choro: http://www.orkut.com/Main#Community?cmm=1122463

 Grupo virtual de amamentaçao; http://www.orkut.com/Main#Community?cmm=52101

 Enfim, aqui vai minha trilha por um dos caminhos mais complexos da maternidade mas tambem um dos mais gratificante e maravilhoso.

Ja aviso que o relato é longo, mas pra quem teve dificuldades com a amamentaçao ou esta tendo, acho que vale a pena tirar uns minutinhos.


Começo dizendo que a minha relaçao com o aleitamento era zero, sempre cresci no meio de crianças, tive um irmao no auge dos meus 15 anos mas ainda assim, nunca tinha presenciado alguem amamentar por bastante tempo, nunca tinha questionado o comportamento, nunca tinha visto como funcionava, nao tive exemplo a seguir, quem era exemplo na familia no quesito, o fez quando eu era muito nova pra tirar proveito.

La em casa, como em muitas familias brasileiras, a seduçao era pelas palavras "vitaminas e ferro", tudo tinha que ser o mais "forte" possivel, e assim eu cresci vendo meus primos mais novos e ate meu irmao tomando aquela mamadeira grossa com um quarto de fruta mais um pouco de neston.

O exemplo que eu poderia ter tido era com o meu irmao, mas a situaçao era bem complicada, Lipe foi um bebe de cinco kilos, mamae teve DPP ja na maternidade, o aleitamento nao era em livre demanda, ele ficava no berçario , era complementado por causa do tamanhao dele e vinha a cada duas horas tentar mamar. Como mamae tinha passado por uma cirurgia mamaria, a coisa complicou, a ponto d'eu sugar o seio dela e nao conseguir tirar uma gota de leite.

Entao ,falando de mim, eu vim pra França, casei nova com 19 anos e logo engravidei, nao tinha duvidas de que amamentaria, é o natural das coisas, nao? Mas na minha concepçao, a amamentaçao era algo automatico, era so por o bebe ali e pronto. Minha desinformaçao era tanta que eu nem sabia que o recomendado era exclusivo ate seis meses e amamentaçao por pelo menos dois anos, como iria saber?

Tive meu primeiro filho em novembro de 2004, Mathieu nasceu com 4KG, um bebezao pras estatisticas da maternidade, ele veio ao seio no primeiro minuto e pegava de forma errada, a enfermeira apertava tanto meu bico, parecia que ela estava lidando com uma boneca inflavel, me senti um verdadeiro objeto nas maos dela mas deixei pra la.

Ja no começo veio o terrorismo, um bebe desse tamanhao, se nao mamar logo pode ter hipoglicemia, tem que ter leite, mas ao mesmo tempo, a dica que recebi foi dar o seio de tres em tres horas e os dois seios, dez minutos a quinze cada um.....eu me perguntava que matematica era essa, como é que o bebe se adaptava a isso, mas sem experiencia segui, claro que na primeira noite, a unica que ele passou longe de mim, ele foi complementado, e ali foi o começo do fim!

Depois disso ele nao tinha mais paciencia pra pega, as enfermeiras de saco cheio, eu sem saber nada tentando por ele no seio, o colostro que era pouquissimo, e o complemento rolando, mas mesmo assim, eu tinha a esperança de que uma hora meu leite ia descer, COMO????? Como é que ele iria descer se o seio nao era estimulado?

Tive alta quatro dias depois, ele so ganhou peso por causa do complemento, obvio e sai de la com a receita de uma lata de leite. Durante o dia em casa eu pus ele no seio varias vezes, mas depois de algumas horas vendo ele chorar, fiquei com medo da noite e Chris comprou mamadeiras e a lata de leite, como pra ele a cultura do aleitamento nao é forte, ele me disse "Ju, nao fica triste nao, olha voce podera dormir a noite toda, assim eu fico com ele e dou o mama de tres em tres horas, voce podera amamentar durante o dia".....eu cansada , sem apoio e vendo o fracasso, pensei que seria mesmo a melhor soluçao, me dizia que pelo menos eu tentei, TENTEI???? Sera????

E assim foi, eu dormia a noite toda, Chris que dava as mamadeiras noturnas e durante o dia era mamadeiras com o seio de complemento. Em dois meses nao saia mais nada, nao posso dizer que ele desmamou pois na verdade, ele nunca mamou! Nao tive culpas, nao tive tristeza, mas ainda sonhava sim com esse momento.

Nessa época eu ja estava no orkut, fazia bem pouco tempo e ja tinha lido muito pouco antes de ter o Mathieu, tanto na questao do parto (tive um normal mas cheio de intervençoes) como na questao do aleitamento.

Com o tempo, fui lendo cada vez mais e me dando conta da série de erros que cometi, do quanto era desinformada e prometi a mim mesmo que com meu segundo bebe, a historia seria diferente.

Fim no ano de 2006 planejei um baby e no mês seguinte ja estava gravida, entrava no GVA (grupo virtual de amamentaçao) e devorava nao so artigos mas tambem relatos, pedi ajuda à Andreia e atravez dela, cheguei ao site da LLL, li tudo, decorei algumas passagens e pra combater o pessoal da maternidade que sao contra a livre demanda e nao querem trabalho, grifei com caneta todas as respostas e evidencias pra provar que o que eles falavam era errado.

Assim cheguei na maternidade, com meu historico da gestaçao em uma mao e a pastinha da amamentaçao em outra. Tive outro parto normal, dessa vez mais tranquilo, graças à informaçoes que tive atravez do orkut e a amamentaçao inicialmente pareceu dar resultados.Nasceu Ciça com 3.900KG. A palhaçada da hipoglicemia foi falada novamente mas nem dei bola.

Deixei claro que as enfermeiras estavam prohibidas de darem qualquer tipo de complemento, a cada intromissao, eu esfregava os textos da LLL na cara delas e dizia que sabia o que estava fazendo, uma delas foi genial, lutou demais comigo pra estabilizarmos a situaçao pois falta de sorte, Ciça teve ictericia forte e por isso dormia demais enquanto mamava.

Voltei pra casa mais do que feliz, minha filha so tinha tomado10ml de complemento na colher, mamava exclusivamente no meu seio e eu achava que tinha conseguido.

Dessa vez minha preocupaçao era outra, como conciliar amamentaçao com a casa e uma criança de tres anos? Meu filho estava em adaptaçao na escola, marido trabalhando demais mas eu tive a compania especial de uma prima, enquanto ela estava aqui, pude levar a amamentaçao, passava o dia todo com Ciça pendurada no seio, mas um problema se formou.

Ciça nao tinha ganho de peso, a pediatra ficava em cima de mim pois ela nao ganhava nada, eu dizia que era o metabolismo dela, nao, queria saber, quando ouvia a palavra complemento ficava com raiva. Ciça era muito chorona, hoje posso dizer que ela foi uma high need, mas tambem posso dizer que apesar de toda informaçao, a falta de apoio, de alguem que sabia de amamentaçao pra me ajudar ao vivo, colocou mais uma vez em xeque o aleitamento.

Eu na época cometia um erro fatal, alternava rapido demais os seios, fazia questao de dar os dois, e ao contrario do que imaginava, eu tinha muito leite, o que rolava é que Ciça nunca chegava ao leite gordo e é claro, nao ganhava peso.

Arrastei essa situaçao por dois meses e meio, meu marido ja estava me cobrando outra posiçao, dizia que Ciça tinha fome e que eu deveria complementar ao menos à noite, eu relutei demais mas no fim cedi, ele dava as mamadeiras enquanto eu chorava no banheiro, porque nao tinha conseguido?!!!!

Pedi ajuda ao GVA pois ja estava sozinha a me ocupar dos dois, tinha horarios complicados por causa da escola do Mathieu e nao estava dando conta, Andreia e Anna me sugeriram uma sonda de relactaçao, meu declic em ver que tinha um problema era a quantidade de xixi dela, quase nao fazia, eu tinha notado, achava estranho mas nem tinha ligado uma coisa à outra, eu estava disposta a tentar mas a minha situaçao era a seguinte, suburbio de Paris, transportes todos em greve, nao achava sonda nas farmacias proximas de casa, marido viajando e filho mais velho no terceiro dia comendo comida pronta e nuggets porque eu nao dava conta, pronto.......joguei a toalha e desisti, disse a mim mesma que tinha feito o melhor dentro das minhas possibilidades, e enfiei na cabeça que amamentaçao era troço pra la de complicado, foram uns quatro meses sem ler o GVA, pulava qualquer topico do tipo na Pediatria radical, fiquei muito triste e dessa vez, diferente da primeira, me senti sim culpada, nao sabia nem o porque, ja que estava persuadida de que tinha tentado, mas nao estava preparada pra esse fracasso.

Me lembro que quando Ciça tinha completado um mês esclusivo no peito, achei que tinha sido vitoriosa e que depois disso nada mais poderia acontecer, que eu ia conseguir.........o pior era ver o quanto ela tinha mudado depois de começar a tomar leite artificial, vi que o problema dela era fome!

Ciça foi crescendo, essa deprê em torno do tema foi passando e eu ja conseguia nao so ler topicos como tentar ajudar outras mulheres a nao fazerem as mesmas besteiras que fiz.

Foi um ano e pouco depois que me descobri gravida novamente, fiquei muito feliz, planejava o parto de forma diferente e tentava evitar o sujeito amamentaçao mas sabia que em algum momento deveria confrontar a realidade. Foi muito dificil ter esse fantasma me rondando durante toda a gestaçao, as perguntas eram muitas, sera que valia a pena tentar? Se nao dei conta com apenas um filho a mais pra cuidar, com certeza nao daria conta com dois a mais, sera que eu deveria me informar novamente? Pedir ajuda? E ao mesmo tempo sonhava com a amamentaçao exclusiva, chegava a sonhar com isso em certas noites, e assim a gestaçao foi passando.

Mas uma vez pedi ajuda à Deia que me lembrou bem a questao da livre demanda, e eu decidi encarar, mas dessa vez iria mais leve, se der deu, se nao dar, fiz o que pude, nao queria sofrer novamente. Meu marido acho que nao acreditava mais, nao falava nada pois sabia o quanto era importante pra mim mas sei que no fundo ele achava que eu nao iria conseguir.

Mais uma vez, um parto bacana, meu filhotao nasceu com 3.800kg, claro que veio diretamente ao peito e eu procurei ficar tranquila, aproveitar o momento pois dessa vez achava que nao teria forças pra lutar, que na primeira dificuldade, capaz de eu desistir logo, nada de matar tres leoes pra nao dar resultado, e ta ai.....a chave de tudo, TRANQUILIDADE, confiança em si mesmo, relaxamento, aproveitava cada mamada como se fosse a ultima, mais uma vez as enfermeiras falaram um monte de bobeiras so que com menos paciencia e uma lingua mais afiada, eu dizia que era o terceiro filho e faria o que quisesse.

Cheguei a levar bronca uma vez por ter deixado Alê no seio por mais de tres horas.......qual era o problema? Aproveitava pra ler, ver TV e deixava ele ali.

Outro ponto essencial, li muito sobre hiperlactaçao, leite gordo e descobri que ao ordenhar, a principio parece que nao tenho leite algum, mas na boca do bebe, sai à mangueiradas, e que alternando bem menos, ele poderia chegar facilmente ao leite gorduroso.

Na época de Ciça cheguei a comprar um tira leite manual da Avent e nunca tirei mais de 50ML, esse era um dos motivos que tambem me faziam acreditar de que eu nao tinha leite.

Descobri tambem que dava conta sim, ja na segunda semana fiquei sozinha com os tres, ja que marido estava viajando.......nada pertubador, Alex ficava super saciado pois eu deixava ele no peito o quanto bastasse, as vezes eram duas mamadas seguidas no mesmo seio pra so depois alternar, enquanto ele se contentava com um lado, eu nao mudava ele pro outro. Descobri que tranquila, ele ficava tranquilo e que eu tinha sim momentos curtos pra fazer comida pras crianças, pra dar banho neles, tomar o meu, enfim, como ele é diferente dos outros, nao so pela amamentaçao, mas pude ver claramente o quanto os dois processos, da mamadeira e do peito sao diferentes.

Antes eu dava a mamadeir e claro, o contato nao era o mesmo, o amor sim, mas confesso que aos 4 meses ao ver Ciça segurando praticamente sozinha a mamadeira, achei o maximo, hoje acho lamentavel......vejo o quanto perdi em questao de momentos com as crianças. Alexandre me cobra olhares e carinho enquanto mama, mas por outro lado, me faz carinho tambem, ele é o unico que nao chupa chupeta, dos tres, foi o primeiro a por a mao na boca e os dedinhos tambem desde cedo, claro.....os outros com o bico nao viam necessidade.

A cada mês eu tinha medo de ser o ultimo, li muito sobre os picos de crescimento, o quanto tudo isso poderia afetar o aleitamento, ja sabia que em alguns dias ele grudaria no seio praticamente 24horas e assim foi, nao sei como, mas dei conta, de deixar um apartamento organizado, lavar roupa de cinco, fazer comida quando marido nao estar em casa, dar banho e atençao aos outros.....hoje vejo que queria meus filhos segurando mamadeira o mais rapido possivel pra ir lavar louça, ora.....queria terminar o serviço da casa pra ficar com eles, mas nao é mais facil ficar logo com eles e terminar o serviço quando eles estiverem saciados da minha presença e assim me dar alguns minutos? Com Alex no seio, eu sentava no chao e brincava com os outros, jogava, montava LEGO, trem.....podia contar historias, tenho a impressao de que mal sentiram ciumes, ja quando Ciça nasceu, eu sem essa tranquilidade mal dava conta dos cuidados basicos com o Mathieu.

Hoje Alexandre esta com oito meses, nem digo qual foi o sentimento de ter conseguido seis meses de seio exclusivo, o quanto isso foi importante, marido que achava que amamentaçao e mamadeira era mesma coisa, hoje é fan do aleitamento e vê claramente as diferenças e pontos positivos, a praticidade em poder sair sem ter hora pra voltar, sem precisar carregar bolsao com leite, mamadeira e afins.....à noite, nao tenho mais que me levantar pra preparar mamadeira, ele sozinho se agara no meu seio e mama quando quer, nao tem mais pratico, fora que a carinha dele mamando enquanto dorme, nao tem preço! Receber carinho enquanto dou de mamar, é uma delicia!

Por enquanto nem penso em desmame, ta ai um processo que nem penso ainda, estou aproveitando demais o momento e ja da aperto no peito em saber que um dia vai ter fim.

Se eu pudesse aconselhar rapidamente quem esta em dificuldades, diria:



Primeiramente relaxe , nao adianta, nao da pra produzir nervosa;



Prioridade........ pra amamentaçao funcionar, os dois primeiros meses sao essenciais, o que sao dois meses em nossas vidas? Peçam ajuda pra serviçoes domesticos, se nao tiverem ajuda como eu nao tive, escolham UMA prioridade diaria, hoje é comida, amanha é a roupa, se der pra fazer mais, otimo, se nao der, deixe pra amanha;



Livre demanda sempre, pro leite descer, nao adianta, é bebe no seio colado o tempo todo, sempre leio das mamaes de primeira viagem que nao conseguem fazer nada, que se sentem escravas, presas, é por pouco tempo, é necessario, nao sera assim o tempo todo, na maternidade tudo tem momento, se respeitamos os momentos dos nossos bebes, logo eles pulam de etapa e respeitam o processo do desenvolvimento. Aproveitem esse tempo pra dormir, eu deitava com ele no seio e dormia a tarde toda, tambem aproveitei pra ler, orkutar, ver filmes, TV, falar ao telefone.......e ele ali, so mamando. A produçao depende da sucçao.



Na questao de peso, diria pra quem esta nessa luta do ganho, se possivel consultar um banco de leite, como aqui nao tenho, eu mesma tive que observar, me concentrar e entender como meu corpo funciona, descobri que metade de um dia quase num seio e metade em outro era o ideal, so tirava Alex de um peito quando ele começava a reclamar, ali via que nao saia mais grande coisa e era hora de mudar pro outro lado......enfim, bebe ganhando peso normalmente!



Se informem, infelizmente nem sempre a amamentaçao rola de maneira facil e saber como funciona o processo ja é meio caminho andado pra descobrir o funcionamento do nosso corpo;



Procurem ajuda, seja do banco de leite, de enfermeiras, se precisarem de uma mao pra ajudar na casa, nao hesitem, nem sempre a gente consegue dar conta de tudo e isso nao é nem de longe um fracasso, cada uma com seus limites, lembrem-se de que no momento, a prioridade é a amamentaçao;



Adiquiram um sling, um porta bebe, é de extrema ajuda, RNs gostam de colo e realmente o tempo que dedicamos a eles diariamente pode tranquilamente passar de 18 horas se colocarmos ai peito + colo, entao pra poderem fazer o minimo quando nao estao amamentando e quando eles nao querem ficar num berço, carrinho ou cama, coloquem seus babies amarradinhos e aproveitem, aqui descobri que é o unico intem indispensavel num enxoval, nao vivo sem os meus!



Todas nos podemos amamentar, o maior problema fica guardadinho ali, na nossa cabeça, se eu consegui amamentar somente o terceiro baby é porque alem de informaçao, faltava desbloquear muitos conceitos erroneos que a sociedade nos passa, na verdade, eu nao estava preparada, nao estava engajada de corpo e alma, descobri que um lado meu tinha medo, medo de virar prisioneira do bebe como eu lia em tantas comunidades, logo eu que sou super à favor da cama compartilhada por exemplo e ja confirmei por duas vezes que na hora certa, eles aprender a dormir sozinhos com segurança e sem precisar de mim, logo, com a amamentaçao é o mesmo processo, uma grande necesidade da minha atençao e aplicaçao no inicio, mas fazendo tudo direitinho, com o passar do tempo, as fases vao passando, o bebe se desenvolvendo, começando a se alimentar ate que um dia a amamentaçao acaba, de forma suave, sem estresse, sem problemas.

Espero que voces tenham tido paciencia de ler esse "mini livro" e que possam com base no meu relato se acharem no meio desse processo que se tornou tao complexo pra nossa sociedade, que voces possam amamentar de forma prazeirosa e tenham sucesso, assim como tive no terceiro filho, que possam realizar um processo de auto conhecimento descobrindo o funcionamento de seus corpos, vencendo medos e conceitos!
Voila, Alexandre essa semana mamando no parque, oito meses de aleitamento prazeiroso!

2 comentários:

Kundrie disse...

EU li tudo! Muito legal sua luta. Acho que muita gente pode aprender com seu post Ju, a coisa da llivre demanda, deixar chegar no leite gordo, e deixar a casa pra lá e principalmente, tranquilidade!
Na minha cabeça amamentar nunca foi um problema (como voce grávida do primeiro). Questionei um monte a minha mãe "o seio rachou? como voce fez? etc". Ela sempre responde "Eu nunca pensei que nao fosse amamentar, você chorava, eu amamentava, simples assim"
Acho que é o lance da tranquilidade mesmo, de confiar em si mesma. Parabéns pelo texto
Alaya

Fernanda disse...

Ola Juliana, adoro as dicas do seu blog!
Ainda nao sou mamãe, mas ja tô guardando as dicas pra quando eu engravidar.
Abraços