quarta-feira, 14 de abril de 2010

Diploma nem sempre é garantia!

 Ultimamente, a cada vez que falo sobre parto ou puericultura com as pessoas, quando tocamos em pontos sensiveis e a um momento da conversa eu tento desmitificar o que eu sei em base de evidencias médicas, sou olhada com olhos cada vez maiores, a maioria se pergunta como é que eu posso atestar algo se nao estudei nada disso? como é que posso afirmar que tais fontes sao verdadeiras se tal médico é diplomado e ele sim sabe o que diz? Como essa moça DONA DE CASA pode ser tao petulante, se achar tanto??? Como? nao sei....mas o caso é que quando a gente topa com certas pessoas, a gente se acha mesmo, nao é bonito, nao é legal, mas PQP, cada dia mais eu tenho MEDO da classe médica, e como minha experiencia com a classe francesa é pequena, nao vou generalizar  e falar somente da classe brasileira,  quando o assunto é obstetricia e puericultura nem Jesus salva!

 Hoje caiu aqui na minha tela uma entrevista de uma médica de SC falando sobre partos, inicialmente eu iria somente comentar rapidamente e postar o video aqui, mas ela falou tanta MERDA que achei melhor transcrever a entrevista que é curta (4 minutos) por aqui e comentar alguns pontos, porque é isso ai......nao sou diplomada mas graças aos céus eu encarnei munida de um bom cerebro , um minimo de logica e vergonha na cara!

R1= reporter masculino
R2= reporter feminino
Dra Denise= a Dra que diz fazer partos (OMG!)


Os entrevistadores começam a abertura falando sobre os tipos de parto, dentro do parto tem o tradicional, o de cocoras, passando pelo de lado ate o escolhido pela Bundchen que é o na agua e anunciam a Go obstetra Dra Denise Costa Meyer  perguntando se o parto normal é a mesma coisa que parto natural, ou se tem diferença , resposta da Dra:



Dra Denise: Tem dois tipos de parto fundamentalmente, o parto via vaginal, ou natural, um e é a via baixa e o parto cesarea que é via alta.


O que é normal dessas duas coisas isso vai variar muito, na minha opiniao particularmante assim muitas vezes o que é dito parto normal , que é o vaginal, nao é normal.


Ainda bem que ela deixou no campo de opiniao particular, mas PENA que as telespectadoras vao levar a coisa à evidencia médica, ja que a moça é diplomada né!
  E sim, tem diferenças entre o vaginal e natural, vaginal pode ser com varias intervençoes e anestesia (analgesia de parto) mas nao sera nunca um natural, onde nao rola intervençao alguma como ocitocina, episiotomia....

R: Porque?


Dra Denise: Porque tem varias circunstancias que particularmente, um significado, um item importante que se chama a dor do parto, néééé, e este , é esta pequena palavra é a que inviabiliza o que seria normal.
Né, as vezes uma cesarea é muito mais normal do que um parto vaginal.


R2: Isso depende do historico? A gente ia falar um pouquinho mais pra frente mas vou entrar nesse assunto ja, depende de todo um historico da paciente pra saber se vai ser normal pra ela ou se vai fazer cesarea, parto vaginal, é mais ou menos isso Dra?


Dra Denise: éé mais ou menos isso e essa historia vai mais longe, a coisa do historico nao é so a da paciente, é do nosso historico, o nosso historico começa ha mais de dois mil anos com uma frase da biblia que é Pariras teu filho em dor, e voce sabe, voces que lidam com midia e propaganda que a sugestao, a dor , ha dois mil anos tem essa sugestao, é dificil da gente se livrar disso, e dor envolve mito(?) , entao o que a gente precisa pra ser bem acompanhada no momento do seu parto é ficar junto dela pra tirar o medo, particularmente da dor, o que vai existir , pra umas mulheres mais, pra umas mulheres menos mas essa dor existe.


R1: E dra , qual que oferece menos riscos ?


Dra Denise: Haaan....Se tu for pensar que por exemplo, a cesarea pode ser uma coisa mais han...organizada, ee se bem que essa cesarea planejada nao é uma coisa que que ache que seja uma coisa que deva ser ehh realizada mas assim, mas o risco na obstetricia existe, né, a obstetricia é uma especialidade maravilhosa e ingrata, porque ao mesmo tempo em que tu , os nenens podem nascer no taxi , o heroi é o motorista de taxi , tu podes acompanhar uma gestaçao, um parto de 12 horas que num determinado momento sai do controle. Que isso é inerente ao evento, nééé, que é um evento que envolve muito, muitas particularidades , é o nenem encaixando, e o sangramento que pode aparecer, tem todas essas coisas né.

Oque é que tem a ver nenem encaixando, sangramento com "sair do controle"? E entao, quais sao os riscos??? Numeros Dra, please???? Eu prefiro o motorista de taxi a ela mas......pra falar de numeros,  a cesa representa no grosso um risco 4 vezes mais elevado ao parto normal, ja que é cirurgia de médio grande porte e rolam riscos inerentes a tal procedimento, fora varios outros detalhes que a Dra parece nao querer comentar!
R2: Vamos falar um pouquinho sobre os partos normais , os vaginais agora , a gente falou da moda deles e do da Gisele Bundchen , quais sao e como eles acontecem?


Dra Denise: Primeiro que a Gisele Bundchen é aquela historia conto de fadas né, acho que a gente tem que deixar isso meio claro , assim eu fui assistir ontem a entrevista dela porque eu nao tinha visto, éééé conto de fadas porque ela é uma princesa, ela mora em castelo que tem uma banheira magica que ela entra, e é quentinha e ela sai la de dentro sem dor e com o filho no colo e perfeita, como ela estava antes.
Aquilo nao serve pra, aquela informaçao que aquela moça deu é uma - Nesse momento a R2 emenda "é uma grande rarissima excessao?", Dra Denise continua- Rarissima excessao e quando ela diz que nao queria anestesia porque ela ia ficar estar dopada , ela comete um , ela nao sabe, ela esta desinformada...nao sei porque os americanos nao informaram ela mas assim, a anestesia analgesia de parto nao dopa ninguem, as mamaes seja na cesarea ou seja no parto normal com analgesia elas vao ficar conscientes o tempo todo , nao existe a , aquela informaçao dela foi - nesse momento a R2 interrompe - mas existe o de cocoras, na agua, o de lado e a Dra Denise continua - Existe a posiçao vertical que é a que seria a coisa mais fisiologica, a mamae andando tendo o seu nene praticamente sentada, nao mais deitada , existe o de cocoras, que é muito efetivo pra quem esta acostumado a ficar de cocoras como as indias né, o perineo das mulheres que sentam como nos sentamos nao é um perineo muito preparado pra isso, existe o n'agua né, que esse famoso agora da banheira e mais ou menos esses né....

Bom, se parto domiciliar ou na banheira é coisa de princesa, posso dizer que faço parte da corte pois embora nao tenha parido dessa forma, tenho a sorte de contar em duas maos no minimo conhecidas que tiveram......essa informaçao de que parto domiciliar é inacessivel é MITO, nao é a coisa mais pratica de se planejar mas dependendo da boa vontade e localizaçao da parturiente é mais do que possivel, e nao precisa ser rica nao, nao vou expor nomes mas posso dizer que quando a gestante bate à porta certa e esta mais do que afim de parir, muitos proficcionais quando nao o fazem quase de graça, parcelam a perder de vista, mas tem que correr atras, ligar, conversar.....nao cai do céu!

 Ela emenda falando da analgesia, realmente a Gisele fez uma confusao que creio eu, por vicio de linguagem ja que ela convive constantemente com a lingua inglesa e nao tem na ponta certos termos em portugues, mas ela nao esta em total erro nao, a cabeça da mulher pode nao estar dopada mas o corpo esta, muita das vezes uma peridural pode sim bloquear todo o processo ou tirar toda a sensibilidade quando era pra tirar somente a dor, eu vivenciei essa experiencia no parto do Mathieu, Gisele quis parir TOTALMENTE consciente, de CORPO e alma!

 Quanto a questao de cocoras, eita ignorancia..........daqui a pouco vamos todos andar de cadeiras de rodas, com o costume de meios de transporte cada vez ais utilizados, pode ser que daqui a uns tempos a gente perca a funçao das pernas......



R1 e R2 agradecem pela participaçao e deixam um bom dia a tal Dra.

  Deixando claro que a moça gaguejou, teve varias interjeiçoes e por isso a discriçao da entrevista ficou tosca, porque a médica é tosca!

 A cara dos reporters era de imcompreensao, a mulher passou 4 minutos e nao falou NADA de produtivo, agora pergunto, serve pra alguma coisa o titulo de douta e esse diploma?

   O problema é que esse tipo de entrevista so gera desinformaçao pras mulheres, é um des-serviço! O bom é que é com esse tipo de furo que aparecem bons profissionais dispostos a clarear as coisas!
  Eis aqui a resposta de um médico de verdade! Um que usa e abusa do diploma!


   De: Marcos Leite dos Santos, obstetra e epidemiologista.

   Consultor do Ministério da Saúde, na área técnica de saúde da mulher.
   Presidente da ReHuNa – Rede pela Humanização do Parto e Nascimento.


   Prezados senhores,

   Foi com grande surpresa que assisti à reportagem sobre tipos de parto hoje no “Bom Dia Santa Catarina”.
Infelizmente a colega que participou é bastante preconceituosa, está completamente desinformada e prestou um grande desserviço à população.
Vejamos porque:



1º. Ao afirmar que a dor do parto invibiabilizaria o parto normal desconhece a realidade apresentada em pesquisas científicas que demonstram uma maior satisfação com o parto normal em mulheres que não foram submetidas à analgesia. Na maioria dos serviços onde se disponibiliza a analgesia a taxa de mulheres que a utiliza fica em torno de 13%. Em ambientes acolhedores, como nas salas PPP (a mulher fica durante o trabalho de parto, parto e pós parto imediato no mesmo ambiente), principalmente quando há uma banheira disponível, esta taxa reduz bastante. Para as que necessitam de analgesia podemos utilizar vários métodos não farmacológicos, também provados como eficazes como p. ex., acupressão, musicoterapia, movimentação, presença de um acompanhante, presença da doula, etc.

2º. Ao afirmar que muitas vezes a cesárea é mais normal que o parto por via baixa comete um crime (com o agravante de ao ser questionada somente se referiu às possíveis complicações do parto normal – omitindo os riscos da cesárea).

Em primeiro lugar por que a cesárea é considerada uma grande cirurgia. Há um aumento na perda sanguínea, risco de lesão de órgãos maternos, risco de problemas respiratórios para o bebê (No setor privado é uma das principais causas de internação de bebês em UTI); em longo prazo aumenta em 4 vezes o risco de placenta acreta (Depois do nascimento do Bebê a placenta não descola do útero levando muitas vezes à necessidade de retirá-lo (histerectomia) e é uma das causas comuns de morte materna).

Em segundo lugar por que quanto mais se estuda mais evidências surgem comprovando as vantagens do parto normal sobre a cesárea, tanto para a mulher, quanto ao recém-nascido. Hoje sabemos que durante o trabalho de parto e parto a mulher libera um coquetel de hormônios que vai agir nela e no bebê, contribuindo para o vínculo afetivo, aleitamento materno e na própria capacidade de amar deste bebê.


Concordo com ela que em algumas circunstâncias, infelizmente não tão raras em países como o Brasil, a assistência ao parto pode se transformar em violência contra a mulher, mas o remédio está em humanizar esta assistência e não operar (sacrificar) a mulher que não tem nenhuma culpa pelo equívoco do modelo.

3º. Demonstrou um enorme preconceito e total desconhecimento de causa ao infantilizar o parto narrado pela Gisele. A Gisele, por opção própria, com profundo conhecimento das evidências científicas, optou pelo parto domiciliar. Escolheu uma parteira para assisti-la, contratou os serviços de uma doula, pariu na banheira, sem analgesia medicamentosa. Esta opção está sendo cada vez mais adotada nos países desenvolvidos. Na Holanda, p. ex., a taxa de parto domiciliar é de 37%, sendo que 52% dos partos são atendidos por parteiras. A Gisele mora em uma casa de alvenaria, sua banheira foi cheia com água da bica e ela deu à luz da mesma maneira que a imensa maioria das mulheres historicamente o fez, não tem absolutamente nada de fantástico, fantasioso ou mágico.

3° desconhecimento da colega é tão grande que na mesma cidade em que ela mora e atua profissionalmente é cada vez mais comum a opção pelo parto na água – aqui realizado tanto em casa como em maternidade no setor privado.

4º. Continuou demonstrando despreparo e preconceito ao dizer que parto de cócoras é para índio e que o períneo das “ocidentais” não está preparado para o parto de cócoras. Na maternidade do Hospital Universitário (Referência nacional e internacional de assistência humanizada) a taxa de partos de cócoras é de 73%, em sua grande maioria mulheres

que não tiveram nenhum tipo de preparação para isto. Associado ao parto vertical está a menor taxa de episiotomia (corte do períneo, outrora utilizado de rotina), em torno de 5% e, consequentemente, de períneos íntegros depois do parto.


Há alguns anos ficou provado cientificamente ser a posição de cócoras a mais fisiológica para o parto. Dentre várias vantagens e contrário ao que a colega afirmou, é nesta posição que o períneo da mulher está mais protegido. Há um aumento de 28% no diâmetro da bacia (osso) e o maior relaxamento da musculatura do períneo. Ao abrir a bacia e relaxar a musculatura há uma maior facilidade na saída do bebê. O mais importante é que as pesquisas foram feitas com mulheres de todo o mundo, mas nos trabalhos considerados como corretos do ponto de vista epidemiológico não havia sequer uma índia! Foram inglesas, norte-americanas, canadenses, argentinas e alemãs dentre outras nacionalidades, provando que qualquer que seja a etnia o parto vertical vai proteger o períneo.

Espero como cientista, médico, pai e cidadão que a direção deste programa tome as medidas necessárias para correção de informações tão inadequadas, preconceituosas e danosas à população deste estado, assim como desrespeitosas com todas as famílias catarinenses que tiveram o privilégio de parir seus bebês em casa, na água e de cócoras.
Pra quem tiver curiosidade, o video é esse aqui ohh:


 Pra finalizar, informaçao é TUDO, felizmente ou infelizmente pra parir, e quando digo parir é parir mesmo, nao é so por filho no mundo ou ter uma cesarea nao, precisamos de estar informadas pra nao cair nas maos de médicas como essa senhora que infelizmente é maioria no Brasil, e os numeros nao me contradizem!


 Pra quem esta afim de se informar, deixo aqui alguns links! bjos de uma mocinha petulante mas  tambem informada!

http://www.rehuna.org.br/

http://www.amigasdoparto.com.br/index.html

http://www.orkut.com/Main#Community?cmm=1615199 (comunidade G.O. Baseada em evidencias)

4 comentários:

apatrucco disse...

Oi Ju! Tentei postar esse comentario no teu orkut, mas diz que os comentarios estão desativados. =/ Bom, li agora teu blog e queria te mandar um link do programa Allo Docteurs da semana passada, exatamente sobre o assunto do parto autrement : http://www.france5.fr/allo-docteurs/index-fr.php?page=emissions&id_article=675
Achei bem interessante.
Outra coisa : prefiro as palavras de alguém que se informou, testou e comprovou do que de alguém com idéias pré-estabelecidas e que não se informa, não se atualiza, não se recicla!
Beijão!
Ana (da comunidade Casada com francês)

Cláudia Rodrigues disse...

Apoiada Ju

Você dando entrevista lá matava a pau no lugar dessa obstetra mega mal-informada, baseada em mitos e crenças populares da obstetrícia da década de 1960.

bjs,

Cláudia M.M Buenaleche

Desnuda disse...

Ju é cada coiiiiiiiiiiiiiiiiiiisa! Ainda bem que você é das minhas! Vou questionando, sim! E as consequências de uma entrevista pró " desinformação" feita num canal de tv pode ser desastrosa. "Nem tudo que reluz é ouro". Acho que deviam enviar carta para esta tv para que seja mais responsável.

Beijãoooooooooooo


* melhor ver novelas mexicanas kkkkkkkkkkkkkkkkk. Carol e Mari descobriram uma comunidade que vende as novelas...Nem precisa dizer que ja encomendaram hahahaahaaahaha.


Beijos tamanho FAMILIA!

Juliana Beaup disse...

Tia, esse médico que respondeu por carta teve convite pra ir dar uma verdadeira aula la no jornal, enchemos a caixa do jornal de reclamaçoes, coitada essa médica deve estar mal com os coments da galera, mas quem mandou ser burrinha!

Quanto as novelas, YUPIIIIII, quando baixar na sua casa vou passar horas e horas assistindo com as meninas, saudades imensas!!! bjocas