segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Dependencia médica, porque ????

Cada vez mais tenho tido a certeza de que nos brasileiros somos mega dependentes de qualquer profissional na area de saude, é impressionante a falta de questionamento, a falta de praticidade ao olhar no termometro e ver que esta marcando 37.5 e se dizer, ok, um banho basta ja que isso AINDA nao é febre.
Eu fico triste ao ler varios pedidos de ajuda diarios no GVA onde mulheres e maes escrevem "O pediatra mandou desmamar...", MANDOU? Como assim? Ai voce percorre a Soluçoes e lê igualmente "Ahh nao sei o que fazer, minha pediatra BRIGOU comigo pois estou dormindo com meu bebe, disse pra eu coloca-lo imediatamente no berço mas eu nao quero e nao sei o que fazer....".
Ai se voce segue essas mulheres, uns meses depois o pedido de socorro é "Ja posso dar frutinha? Meu pediatra liberou......volto a olhar o avatar e a historia da mulher pra compreender que o bebe em questao as vezes nao tem nem 4 meses.....porra, que contrasenso! E o pior, as mulheres ficam realmente aflitas em ter que dizer "Hei, no meu cafofo eu mando.....de a vacina que ja esta de bom tamanho!"

Gente, primeiro, pediatra é médico, ainda que de crianças, MEDICO, nao é especialista em sono  e nem alimentaçao infantil, as opinioes dadas nos consultorios sao em sua maioria pessoal e cultural.....nao tem evidencia alguma por ali! Um erro enorme é essa "amizade" falsa que insistimos em creditar neles, essa segurança paternalista.
Esta com problemas na amamentaçao? Procure um banco de leite!
Esta com problemas de sono com seu bebe? Escute a voz interna que grita dentro de voces, aprendam a desde ja a serem autoconfiantes, voces irao guiar outras pessoas daqui pra frente, sem firmeza nao rola! Nao é dificil pensar o que voces querem, como desejam fazer...sim, tem otimos textos internet a fora sobre a questao pra poder complementar a opiniao e desejo PESSOAL de voces.....pra que perguntar algo pro medico pra depois nao acatar e ainda ficar se achando errada quando no minimo voces estao apenas seguindo estinto?
Estao querendo dicas de alimentaçao infantil, o Ministerio da saude tem cartilha, alias, em todas as campanhas governamentais a preconizaçao basica é "Amamentaçao exclusiva por seis meses e complementada ate dois anos, se nao rolar amamentaçao, leite formula ate seis meses e introduçao gradual da comidinha igualmente pra quem amamenta", nao tem misterio.....
O papel do medico no geral é curar e prevenir doenças......nao ditar maneiras pessoais de criar filhos!
È de importancia as consultas mensais no primeiro ano pra pesagem e vacinaçao, o resto é com voces......é uma delicia ser autônoma, decidir por si mesma em base de nossas convicçoes....é por isso que a pediatra que acompanha as crianças ate hoje acha que eles dormem cada um na sua cama das oito as sete sem acordar nem pra beber agua ou ir ao banheiro....questionar é importante! Informaçao hoje em dia esta super acessivel!
Eu fico preocupada ao ler uma gestante perguntando se pode comer canjica com 27 semanas de gestaçao pois tem DOIS pauzinhos de canela e alguns cravos dentro.......ok, nenhuma duvida deveria parecer ridicula mas fico imaginando essa mulher daqui a alguns meses sentada na poltrona ao lado do berço com um bebe de 15 dias sem saber o que fazer, se dorme com ele, se deixa no berço, se pede ajuda, se da luftal.....e no fundo doida pra chegar o horario comercial pra ligar pra pediatra e dizer que esta zumbizando, que nao consegue manter o bebe no berço ..... é a mesma que ao ver o filho com febre de 38° vai querer correr na pedi ou PS e exigir diagnostico fechado ainda que o unico sintoma seja febre, ai da-lhe exame de sangue e urina sem proposito algum....é uma pena que na nossa sociedade a mulher tenha perdido a total confiança em si, vejo isso na questao parto, na questao da maternidade, da mulher no trabalho, entre escolher se fica com o filho ou se vai à luta e ate se quer ou nao ter filhos! Enfim, a mudança esta em nossas maos ao  criarmos nossos filhos com segurança e passar isso pra eles, que eles podem e devem ser autônomos e decidir por si mesmo sem ajuda de terceiros!

Um comentário:

Nanda Gomes (www.blig.ig.com.br/reidavi) disse...

Concordo em tudo Ju. Nós temos que ter as nossas proprias crenças e seguir em frente. As crianças percebem a auto confiança e correspondem!
Excelente texto, parabens! bjs