sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Carlos Gonzaléz? Sou MEGA fã!

Desde que comecei  a seguir seus textos, me encantei.....mais um que deu nome a todos os meus sentimentos, a minha maneira de cuidar das crianças, mostrou que nao, nao sou louca alternativa ou algo parecido, sou apenas mae, mae que usa os instintos mais primarios do ser humano pra cuidar da prole.....como aquela mulher das cavernas que o fazia por meio de sobrevivencia, pois é, sem familia e sem ajuda por perto, eu consegui desenvolver ao maximo meu instinto, seja materno (nao gosto muito dessa teoria, tira um pouco o lugar do pai!) ou apenas de sobrevivencia mesmo.

 Essa semana me deparei com esse texto aqui, traduzido pela Monica Bittar na comunidade " Eu pratico cama familiar" e como é a minha cara, trouxe pra dividir com voces!

"Los niños que duermen con sus padres tienen menos problemas"


http://www.lavanguardia.es/ciudadanos/noticias/20100331/53900236179/carlos-gonzalez-los-ninos-que-duermen-con-sus-padres-tienen-menos-problemas-finlandia-gonzalez-alema.html



As crianças que dormem com os seus pais têm menos problemas” (La Vanguardia [Barcelona – Espanha] 31/03/10)




Ter um filho é uma experiência transcendente. É como uma semente que se planta para garantir a passagem à eternidade. Por isto é tao importante ser pais, mais que o dinheiro ou o trabalho, ainda que muitas vezes nao se dedica o tempo suficiente aos filhos. Para o pediatra Carlos González, presidente da Associaçao Catalã Pro Amamentaçao (ACPAM), isto é um erro grave.



Existem pais que enchem seus filhos de presentes para cobrir a sua falta de atençao, quando o que necessitam sao mais horas de pai e mae. González recomenda nao seguir a recomendaçao de livros que dao conselhos para criar uma criança porque o melhor é se deixar levar pelo bom senso. Parece estranho que o diga justamente ele, que acaba de publicar “Entre o teu pediatra e você”. Entretanto isto é o que lhe dita a sua experiência como pediatra, mas também como pai de três filhos, que já comem e já dormem.
Pergunta (P): Como criar bem uma criança?


Resposta (R): Passando o maior tempo com ela.



P: Mas tem muitos pais que têm que trabalhar.

R: Sim, mas no fundo todo mundo pode se permitir cuidar dos seus filhos. Meus pais o fizeram comigo. É questao de prioridades.



P: De que prioridades?

R: Se você quer ter muitas coisas materiais ou estar mais tempo com eles. Às vezes o nível de vida nao depende tanto do dinheiro que você ganha, mas de viver como você quer e fazer o que você quer.



P: Seus pais te educaram assim.

R: Preferiam estar comigo mais que trabalhar, ainda que nao saíssemos de férias nem tívessemos carro. Eu segui o mesmo exemplo. Quando nasceram meus três filhos deixei de trabalhar e me dediquei a escrever em casa, porque existe algo mais gratificante que ser pai?



P: Nao pude comprová-lo.

R: Se você é um ministro, prêmio Nobel o cirurgiao salva-vidas, poderia ser mais gratificante, mas se você é mais um pediatra entre tantos, um peao de obras ou trabalha num supermercado, mais gratificante para você serao os teus filhos.



P: Por quê ter filhos é tao transcendente?

R: Dentro de umas décadas o único que restará de nós será a nossa descendência. Quando era adolescente, li num muro de rua: “temos que considerar a possibilidade de que a imortalidade esteja nos filhos”.



P: Nunca había pensado nisso.

R: Como sejam e vivam os nossos filhos dependerá de nós mesmos



P: O que significa criar um filho de forma natural?

R: O normal na espécie humana é dar a atençao que o bebê pede: quando chora, pegá-lo no colo; se ele se desperta, consolá-lo… Isto de colocá-lo para dormir em outro quarto e nao acostumá-lo no colo se inventou recentemente.
P: E se ele nao quer dormir sozinho?


R: Antes de tudo nao se deve deixá-lo chorar. É como se chegássemos em casa e encontráramos a nossa esposa soluçando de chorar. Nao seria normal perguntar-lhe o que acontece? E se é o meu filho, vou ignorar e começar a ler um livro? Pois é claro que vou me preocupar!



P: O que um pai tem que fazer se seu filho chora à noite?

R: Pois, dar-lhe a atençao que pede, porque se nao, ou seu choro nao lhe deixará dormir ou os seus remordimentos, que durarao muito mais que o choro da criança. E eu nao quero viver com a lembrança de que “meu filho me chamava e eu nao fui lhe ver”



P: Também podemos trazê-lo a nossa cama?

R: Claro que sim. Normalmente isto é o mais cômodo, ainda que tem gente que se empenha em se levantar seis vezes cada noite para consolar seu filho, mas nao estou disposto a fazer este sacrificio quando tudo se resolve trazendo-lhe a nossa cama.



P: …

R: Dormi com meus pais e os meus pais com os meus avós. A maioria das pessoas também o fez, ainda que custa sair do armario porque está mal visto. Disse Gabriel Mistral que “é amargo todo o homem que nunca tenha dormido no colo da sua mae”



P. Mas nao tem nenhum estudo científico que o corrobore.

R: O preconceito é pensar que as crianças que dormem com seus progenitores sao mais dependentes. Mas, segundo alguns estudos, os que dormem à noite na cama dos seus pais têm menos problemas de saúde mental.



P: “Uau”

R: Os pais costumam impor aos seus filhos normas absurdas que os fazem sofrer e a eles também. Por exemplo, nao pegá-los no colo com frequência ou deixá-los chorar quando lhes colocam a dormir sozinhos.



P: Entao, que normas temos que seguir?

R: As que os pais queiram, as que lhes sejam mais cômodas de por em prática. Estou convencido de que nao se necessita livros para criar um filho.
P: E o diz o senhor que é escritor, além de pediatra.


R: Sim, me dei conta de que muitos pais ou se sentiam preocupados por nao poder por em prática os conselhos que encontravam em livros ou ficavam com o coraçao destroçado quando os aplicavam.



P: Os pais se preocupam às vezes demais com seus filhos?

R: De um certo modo, sim. E penso que é uma consequencia de que a maioria das pessoas tem menos filhos que antes e se preocupa por coisas absurdas. Uma mae chegou a me perguntar o que poderia fazer se o seu bebê nao gostava de abobrinha. Mas, muitos pais con sete filhos nem se preocupam se eles se alimentam a base de hamburguers e batatas fritas!



P: Que diferença!

R: Hoje em dia o 80% das maes sao novatas porque nao chegam a ter mais de um filho.



P: E ainda assim nao conseguem educá-los como querem.

R: Na Espanha as crianças começam a ir a creche aos 4 meses de vida, quando em países como a Alemanha só vai um 6%, e na Finlandia a escola normal nao começa até os 7 anos. Por nao falar dos pais que deixam os filhos uma hora antes de começar as aulas e os recolhem uma hora depois de acabá-las.



P: Têm que ir trabalhar.

R: Sim, e como muitos se sentem mal, tentam compensá-lo dando todo o afeto e carinho quando estao com eles. Mas tem outros pais que, como lhes disseram que pegar uma criança no colo ou acariciá-la muito é malcriá-la, optam por comprar-lhes brinquedos, aparelhos eletrônicos e sair de férias, assim que precisam trabalhar mais e, portanto, estar menos com seus filhos.



P: É um círculo vicioso.

R: Às vezes substituimos coisas realmente importantes, como o contato, o carinho e o afeto, por coisas materiais. Dá pena escutar os pais de adolescentes problemáticos dizer “ai, com as horas que trabalhei para que nao lhe faltara nada”, mas talvez o que necessitava esta criança era mais horas de pai e mae.
P: Inclusive tem crianças que nao querem comer enquanto as suas maes trabalham.


R: Sim, este fenómeno é frequente em crianças de 4 ou 6 meses de idade. É uma conducta que se observa principalmente em bebês que tomam peito. A maioria das crianças, se dependesse delas, estariam mamando até os 2 ou 4 anos.



P: A soluçao é conciliar melhor trabalho e familia?

R: Efetivamente, temos uma das taxas de natalidade mais baixas da Europa. Outros países como a Suécia têm 2 anos de licença maternidade ou reduçao da jornada de trabalho com salário integral. Mas na Espanha as ajudas quando se tem um filho sao uma autêntica vergonha.



P: O mais importante para criar um bebê é…

R: Nao lhe dizer muitas vezes que lhe ama, porque ele nao entende isto, temos que demonstrá-lo: abraçar-lhe, beijar-lhe muito e fazer com que sinta que estaríamos dispostos a tudo por ele.
 
 
  Aqui desde sempre dormimos com as crianças por escolha, conforto, vontade, proteçao......e a autonomia deles? Vai muito bem, obrigada! Alex essa semana começou a pedir pra ir dormir na cama ao inves de ser ninado no meu colo no sofa ou na poltrona, corre pra la, tenta se cobrir e resmunga me chamando.....uma graça!
Tem coisa melhor do que cama com cheirinho de  bebe? Ou de madrugada ser acordada por uma maozinha procurando o seio pra mamar e de quebra, ganhar carinho e um olhar de gratidao do filhote? Encerro e começo meu dia sempre avistando as coisas mais preciosas da minha vida, a feiçao calma e tranquila de cada um......o primeiro "bonjour", geralmente vem deles!
Otima contribuiçao pra começar bem o dia!
 
Algumas fotos da criançada compartilhando a cama.....
Mathieu e Ciça baby!

O trio ha sete meses atras!

Alex com seis meses!


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um ano de blog e a evoluçao do trio!

Eita cabecinha de borboleta......dia  6 de outubro o blog fez um ano e eu nem percebi, nao comentei, nao me toquei! Tinha que ser eu, a rainha de desejar "feliz aniversario" atrasado....é uma caracteristica classica minha!

 Enfim, eu que achava que isso aqui nao duraria dois meses, estou suepresa e satisfeita com meu cantinho, estou sim num momento de "branco total" e sem muita imaginaçao mas é passageiro, deve ser o blues que o inverno traz a cada ano!

 Bora fazer um balanço do trio? Vamos ver o que mudou daquele dia 6 de outubro de 2009 ate hoje, dia  25 de outubro de 2010?....... se agarra no babador mais proximo e vem comigo! (sim, eu sou fã assumida da Katylene)

Vamos começar pelo Mathieu.....de um ano pra ca ele mudou bastante, perdeu totalmente o ar menininho e bebe que ele tinha, esta bem mais sociavel e pra quem demorou pra falar, ou nao falava grande coisa, o muleke virou papagaio....engoliu um vitrolao com mega fone e isso resultou num menino falante que gosta de explicar TUDO nos minimos detalhes.
Demora minutos interminaveis pra contar algo do tipo "Vovo viu a uva" porque ele descreve a vovo, explica sua arvore genealogica, a roupa da vovo, diz que nao gosta de uva .....e quando ele chega no fim da historia, voce ja esta cansada pedindo arrego!
Esse ano rolou uma grande mudança na vidinha dele, ele saiu do maternal pra encarar o CP, a alfabetizaçao....esta junto com os "grandes", mamae nao o leva mais na porta da classe mas o deixa no portao da escola onde ele vai sozinho pra sua salinha.
Esta super empolgado com as letras e ja sabe escrever e ler algumas palavrinhas, mais do que nunca interessado nesse novo mundo.....adora desenhar e tem otimas constataçoes!
Esportista assumido, adora football, ja tem uma turma do parque e na escola parece que é o passatempo preferido dele na recreaçao....essa semana bati um papo com a prof dele e estou satisfeita, apesar de imaturo e muito falante, ele tirou 4 vezes nota 10 em comportamento e um 9....e eu que pensava que nao passaria de um 5/6, ta vendo o que da subestimar nossos pimpolhos?
Continua nao comendo legumes, a nao ser em sopa mas esta comendo mandarina e ontem comeu kiwi.....disse que experimentou na escola e gostou!
Pro natal ele quer patins , lego, playmobil e ainda o telescopio.....ja fez a lista do papai noel!
Dia 22 vai fazer 6 aninhos e ja esta pensando na festa.......gaiato e bom vivant que é, quer convidar metade da cidade, ficou preocupado quando disse que teremos que reduzir a listinha.
Tem falado muito em "casal, apaixonados, casamento"......ri ao ver eu e Chris juntos e sempre pergunta se somos casados, apaixonados......perdeu o segundo dentinho debaixo ontem, o primeiro foi no Brasil!

Agora vamos falar de Ciça? Entao, princesinha cresceu, tambem fala pelos cotovelos e é a madame sabe tudo....quer estar sempre no comando mas ainda assim é doce, carinhosa e meiga demais quando quer.
Graças a escola e a professora ela agora nao so permite lavar os cabelos mas tambem adora ser penteada, ATENCAO, somente pra ir à escola, pra sair ela continua a mesma......adora a professora, os amigos e adora se infiltrar na turma do Mathieu, sempre esta no meio dos meninos jogando bola ou atrapalhando o jogo e ai deles se reclamar!
Adora chamar atençao , mas so pra conhecidos porque pros estranhos se faz de timida, quer sempre contar tudo, repetir o que Mathieu fala....é outra detalhista!
Nesse momento a paixao da bichinha é cozinhar, todos os dias volta da escola dizendo que cozinhou para os amigos, nem preciso dizer que o presente de natal dela ja esta escolhido, uma mega cozinha em miniatura com acessorios......
Gosta de cantar mas escondido, se ela for surpreendida, para na hora, alias, tenho pra mim que essa vergonha é da gente pois na escola ela é super participativa, a prof sempre fala dela com encantamento.....Ciça ja conquistou!
Continua com fixaçao por sapatos e bolsas, ja esta com tres mochilas.....passa o dia trocando de sapato, se eu der bobeira com o armario aberto, la vai ela!
Ainda faz pirraça de vez em quando e quando mal humorada fica chorona mas na rua é uma delicia, é mega obediente e nao da trabalho algum......ja gosta de shopping e de lojas, se for de sapatos entao, ela fica enlouquecida!

Agora vamos falar do *Alex?
Entao, meu bichinho esta andando......fala o tempo todo e ja mostra o ar de ditador , gosta de comandar, é ciumento, quer atençao 100% do tempo, implica com os irmaos, ja aprendeu a sair correndo ou parar a besteira no ato quando eu começo a brigar com os tres.....e é apaixonado por carros!
Uma das aquisiçoes mais fofa é que o danado come compote sem se sujar ou deixar cair no chao.......preciso dizer aqui quanto tempo Mathieu e Ciça levaram pra fazer isso?


Ele ja avisa quando esta com sede, vai perto da pia da cozinha e reclama pedindo agua a sua maneira, claro! Tambem ja da sinais de que esta com a fralda cheia, fica vindo ate a gente reclamando, se estamos deitados, ele enfia o bumbum na nossa cara......nao tem erro né!
Outra novidade é que nao esta mais aceitando dormir ninado no colo todos os dias, antes de noite ele dormia no meu colo mamando no sofa ou na cadeira, agora ele vai pra cama e fica puxando o edredon tentando se cobrir e querendo que eu fique ao lado acariciando ate ele pegar no soninho.....alias, é um gato, adora carinho, as vezes chega a deitar enquanto Chris fica um tempao massageando suas costas!
Imita tudo o que fazemos, os irmaos brincando, eu e Chris brigando....ate dedo na cara do Mathieu ele enfia, aonde aprendeu? Mistério! Gosta de bagunça com os irmaos mas ciumento que so, adora quando ficamos so nos dois sozinhos em casa!
Tem dificuldade em ver Mathieu ou Ciça no meu colo ou no do Chris, geralmente quando Ciça esta com Chris no sofa, ele a empurra ate conseguir pegar o lugar dela, reclama, chora, bate......alias, esse sabe se defender! Empurra os mais velhos, puxa cabelo.......um verdadeiro obistinado!!!
Ahh o mais importante, ainda mama!!! Pois é, come que nem um leao e mama que nem bezerrinho!
 Pra fechar, vou dixar aqui o ultimo video que fiz do trio num fim de noite!




 E que venha mais um ano de blog.......bjos!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

História de 2 nascimentos- sucesso para amamentar?

Achei esse texto muito legal no GVA e hoje, completando 15 meses de amamentaçao graças à força e ajuda que recebi das meninas de la, em especial da Andreia Mortensen, resovi colocar aqui pras leitoras que ainda estao gestando ou planejando um novo baby......no fim comentarei minhas experiencias em relaçao ao texto, ainda que a realidade do texto seja americana, ela se assemelha em muitos aspectos a realidade francesa ou brasileira.

História de 2 nascimentos- sucesso para amamentar?


Revolução Pacífica– A Maternidade e a Culpa de 13 Bilhões de dólares


Originalmente postado em:

http://www.huffingtonpost.com/melissa-bartick/ipeaceful-revolutioni-mot_b_536659.html



Por Melissa Bartick, médica intensivista em Massachusetts, EUA, além de mãe. Também é presidente da ‘Massachusetts Breastfeeding Coalition’ e pratica medicina hospitalar.



Traduzido por Luciana Prass Rolsen

Revisado por Andréia C. K. Mortensen





Desde a publicação em Abril do meu artigo “O Peso que a Amamentação Não Ideal tem nos Estados Unidos” (http://www.huffingtonpost.com/2010/04/05/breastfeeding-study-on-be_n_525180.html) no periódico científico ‘Pediatrics’, com Arnold Reinhold, tenho sido questionada com frequência por jornalistas sobre o que os EUA podem fazer para melhorar nossos índices de amamentação. Também recebi muitos comentários perguntando se a pesquisa apenas faz mães se sentirem culpadas por não amamentar.

As respostas para estes dois questionamentos estão intimimamente ligadas, e são melhor ilustradas com dois relatos de parto. Como você poderá ver, ao comparar o que deveria acontecer no parto com o que REALMENTE acontece, você poderá apreciar o quão difícil é para as mulheres americanas amamentar, e como poderia ser muito mais fácil se apenas alguns detalhes fossem diferentes.
Relato de parto número 1: Como seria um nascimento ideal com condições favoráveis ao bebê e a mãe nos EUA


Você dá a luz com auxílio de uma doula. Ela te ajuda a evitar uma cesárea ou parto instrumental, e é por isso que o hospital a contratou. Seu bebê é limpo de leve, e então colocado diretamente no seu peito, pele a pele, com a cabeça entre seus seios. A enfermeira coloca um cobertor ao redor de vocês dois, e o seu companheiro corta o cordão umbilical. A enfermeira avalia as condições vitais do bebê enquanto ele descansa no seu peito. Enquanto você está semi sentada, feliz e exausta, seu bebê usa suas mãos e pernas para se mover em direção ao seio e começa a mamar (‘Breast crawl’). Você e seu companheiro são deixados a sós por uma hora para curtir seu bebêzinho, que neste momento já conseguiu desenvolver o comportamento prório para amamentação graças a essa mamada inicial. Você então é levada para o quarto de recuperação com o bebê no peito.
A enfermeira retorna e pesa, mede e examina seu bebê ali mesmo no seu quarto. Você está junto quando ele recebe a injeção de vitamina K e colírio antibiótico. Seu bebê é devolvido a você, e novamente colocado sobre seu peito pele a pele. Vocês ficam em alojamento conjunto até a alta. Nas suas aulas durante o pré-natal você já havia aprendido a pedir que a maioria dos visitantes esperasse até que você volte para casa, para que pudesse descansar. Você também desliga o telefone para que nenhuma ligação a acorde. Antes de sair do hospital o teste do pezinho é feito enquanto seu bebê mama, e você se impressiona ao ver que ele não chora durante a picada. Você recebe alta com instruções claras sobre amamentação, e números de telefones para ligar caso precise de ajuda. Você não recebe nenhum “presente” de empresas de leite industrializados.
Dois dias depois, você faz a primeira visita ao pediatra, que está um pouco preocupado com o peso do bebê, mas fora isso ele está saudável. Ele rapidamente te redireciona a uma Conselheira de Amamentação Certificada, e a única coisa que você paga é o “co pay” comum1. Ela faz uma avaliação cuidadosa e recomenda aumentar a frequência das mamadas por alguns dias, e isso resolve o problema.

Você curte seus 3 meses de licença maternidade paga, com 80% do seu salário normal2. Seu bebê dorme perto de você, e como você aprendeu a amamentar deitada e no escuro, você acorda bem disposta a cada manhã.
Quando você retorna ao trabalho, seu empregador permite que você tenha horários flexíveis. Seu local de trabalho tem uma política que permite novos pais trazerem seus bebês para o trabalho, então você o traz com frequência. Como em outras empresas com a mesma política, seus colegas gostam de ter um bebê por perto, e você se sente feliz, calma e produtiva.
Quando seu bebê fica mais ativo, você o coloca numa creche perto do seu local de trabalho para que você possa amamentá-lo durante o horário de almoço, e você pode ordenhar leite na sala de amamentação do trabalho. Você comprou uma boa bomba de ordenhar leite com ajuda do ‘Programa de equipamento médico durável do seu plano de saúde’. Após 6 meses você introduz sólidos na alimentação do bebê. Alguns meses depois você percebe que não precisa mais ordenhar leite no trabalho e você e seu bebê ainda curtem a amamentação por mais um ano. Seu bebê é tão saudável que você nunca teve que perder um dia de trabalho.
Essa experiência se assemelha a sua, ou será essa aqui?




Relato de Parto Número 2: A realidade americana



Você dá a luz um bebê saudável, e nunca ouviu falar de uma doula. O cordão umbilical é cortado antes que alguém consiga terminar a frase “É um menino!” Imediatamente, seu bebê é levado para o outro lado do quarto para um berço aquecido onde a avaliação de Apgar é feita, ele recebe a injeção de vitamina K, e colírio antibiótico é aplicado nos olhos, deixando sua visão nublada. Ele é colocado numa balança gelada para ser pesado e medido. Ele é lavado e esfregado, retirando o cheiro de sua mãe. No final, ele é profissionalmente embalado num “charutinho” e devolvido a você para segurá-lo, de lado em seus braços.

Ele não tem contato pele a pele contigo, e não pode mover seus braços e pernas em direção ao seio. Antes que você perceba, uma hora já se passou desde seu nascimento, e como ele perdeu a janela de oportunidade onde está mais alerta após o parto, ele cai num sono profundo sem ter mamado espontaneamente. Você tenta fazê-lo se interessar pelo peito, mas ele está mesmo muito cansado para tentar com vigor. Como ele está embrulhado e já tomou banho, não consegue usar seu senso de toque e cheiro para seguir em direção ao seu seio. Você não sabia que o melhor era desembrulhá-lo e amamentá-lo logo após o parto, porque a sua aula no pré-natal não falou da importância do contato pele a pele nos primeiros dias de vida. Isso tudo foi discutido numa aula separada sobre amamentação, mas você não tinha nem tempo nem dinheiro para fazer 2 aulas.
Assim que você começa a se entrosar com o seu novo bebê, a equipe decide levá-lo para checar sua temperatura e o nível de açúcar no sangue. Seu nível de glicose é 45 – normal para um recém-nascido, mas baixo para um adulto. Sua temperatura está um pouco baixa, também – todo aquele tempo no banho, na balança gelada, embrulhado no charutinho, e longe do calor de sua mãe o levaram a hipotermia.
Hipotermia e hipoglicemia podem ser sinais de uma infecção sérias, então ele é imediatamente levado de seus braços para o berçário, onde ele recebe o que é chamado de “avaliação de sepse”. Deitado num berço aquecido ao fim do corredor, ele tem sangue retirado para exames, e depois é deixado no berçário para ser observado por algumas horas. Entao você não pode ficar com ele enquanto se recupera do parto. Ele recebe 60mL de leite industrializado, dos quais ele vomita quase tudo, já que o estômago de um bebê de 5 horas é menor que uma colher de chá, o tamanho perfeito para digerir o colostro que sai dos seus seios nos primeiros dias.

Finalmente, seu bebê é trazido de volta a você, enrolado num pacotinho. Ele está mais alerta, mas nunca desenvolveu o comportamento próprio e natural para mamar bem, e está muito estressado com os eventos do dia. Ele pode estar estufado com o leite industrializado que recebeu, e não mama direito. Ele tenta novamente mais tarde. As enfermeiras tentam te ajudar, mas parece que cada uma dá um conselho diferente, e muitos são conflitantes. Você não sabe, mas os conselhos que elas dão são baseados em experiêcias pessoais e não em evidências científicas, porque não tiveram muito treinamento em amamentação. Você não sabe no que acreditar. Finalmente, seu bebê volta para o berçário “para que você possa descansar”, e ele é trazido a você para mamar. Ele não gosta do berçário, então chora, e chora, e você não consegue dormir bem também.
Você sente um pouco de dor quando ele pega o seio, e te dizem que isso é normal. Você está tão empolgada com o nascimento que liga para todo mundo, e muita gente vem te visitar. Eles passam o bebê de colo em colo. Alguém sugere dar uma mamadeira, e você concorda, porque não? Ele está mordendo as mãozinhas, mas ninguém lhe disse que isso é sinal de fome, então você lhe dá uma chupeta que o hospital forneceu para sugar ao invés de sua mão. Você não sabe que dar leite industrializado e chupeta no hospital vai ser ruim para todos seus esforços para amamentar. É surpreendente que as enfermeiras não lhe informam sobre isso, e você não aprendeu na aula do pré-natal. Você fica com vergonha de amamentá-lo na frente das visitas. Finalmente, seus convidados vão embora, mas a essa altura do dia seu bebê está nervoso, e como resultado ele não mama bem.

Ele passa a noite no berçário, onde é pesado. Ele perdeu mais peso do que deveria. O médico diz que é porque seu leite não desceu ainda, e recomenda mais mamadeiras. Ele continua feliz sugando sua chupeta e dormindo no berçário apesar de sua perda de peso preocupante! Mas ninguém sugere que se você o amamentar com mais frequência, dormir no mesmo quarto que ele, jogar fora a chupeta, ou ainda conversar com uma consultora de amamentação, poderiam ajudá-lo a trilhar o caminho certo para amamentação.
Uma hora antes da alta, a consultora de amamentação vem e brevemente conversa com você, mas como o seu departamento tem poucas consultoras, ela não conseguiu vir vê-la mais cedo quando você mais precisava, e ela tem pouco tempo para solucionar seus problemas. Ao sair, a enfermeira lhe dá uma bolas de brinde de uma marca de leite industrializado, completa com amostras de fórmula e informações sobre amamentação que fazem parecer amamentar difícil e um pouco assustador. Ela diz que se você tiver dúvidas para ligar para o seu pediatra.
Na primeira noite em casa as coisas não vão bem. É madrugada e seu bebê não para de chorar quando você tenta amamentá-lo. Você se pergunta se deveria simplesmente desistir. Você dá uma mamadeira pronta (da sacola de brinde do hospital) e seu choro para como um milagre. O problema está resolvido, pelo menos por agora.

Você está realmente motivada a amamentar, então pela manhã você tenta encontrar uma consultora de amamentação. Você liga para alguém que achou na lista telefônica que se entitula “Conselheira de amamentação” e que quer lhe ajudar, mas seu seguro saúde não cobre o custo. Você encontra outra pessoa que se entitula “Consultora de amamentação”. Você não faz idéia da diferença entre “conselheira” e “consultora”. Como estas profissionais não são licenciadas pelo governo, você não tem como saber se elas são qualificadas para fazer o que fazem.
Você se encontra com a consultora de amamentação, mas tem que pagar a parte. Ela ajuda. Depois, você remete um pedido de reembolso ao seguro saúde e torce para que dê certo. Tudo isso enquanto cuida do seu recém nascido. A consultora recomenda que você ordenhe com uma bomba elétrica dupla para ajudar a aumentar sua produção de leite, que agora está ameaçada pelo tanto de leite industrializado que o bebê recebeu na mamadeira, e porque sua técnica de mamar ainda não é boa o suficiente para estimular seus seios, já que ele não aprendeu bem desde o início. Seu seguro saúde não permite que a bomba seja coberta pelo programa de equipamento médico durável, e você tenta pagar com seu cartão da Conta de desembolso flexível3, mas não é aceito. Você paga os $250 do próprio bolso. Que bom que você tinha um vale presente para ajudar a pagar!
Você vai no pediatra para a consulta de rotina. Como seu pediatra teve muito pouco treinamento em amamentação, ele não sabe como ajudá-la, mas está preocupado que seu bebê tenha perdido muito peso, e aconselha dar-lhe um pouco de leite industrializado. Você não sabe o que fazer porque o conselho dado pela consultora de amamentação foi diferente.

Ugh!!! Isso é muito difícil, você pensa. Eventualmente, as coisas miraculosamente se resolvem, apenas porque você teve persistência nos altos e baixos, e seu companheiro, familiares e amigos te apoiam totalmente na amamentação. Com aproximadamente 4 semanas, seu bebê está sendo amamentado exclusivamente no peito, e ganhando peso. Você esta curtindo o que resta da sua licença não remunerada dentro da lei de Licença Médica Familiar4. Mas você tem somente 2 semanas antes de voltar a trabalhar. Você não tem dinheiro para ficar mais tempo longe do trabalho.
Você começa a ordenhar para produzir uma reserva de leite congelado para seu retorno ao trabalho. Você se organiza com seu empregador para ter um lugar para ordenhar – que sorte a sua que não é um banheiro! Você volta ao trabalho, e não demora muito para descobrir que sua produção de leite está diminuíndo e agora seu bebê quer mamar a noite toda. Você está exausta!
Você liga para a consultora de amamentação que diz que é comum ver uma diminuição na produção de leite materno quando a mãe volta a trabalhar. Ela explica que a bomba não é tão eficiente para ordenhar leite quanto o bebê, então sua produção pode diminuir, mas o bebê compensa ao mamar com mais frequência quando está junto a você – e isso calha de ser durante a noite. “Se chama ciclo reverso de amamentação”, ela lhe diz. Você se pergunta porque nunca ouviu falar disso antes, em suas consultas de rotina com o pediatra e obstetra.
Você quer ver a consultora de amamentação novamente, mas o seguro somente lhe reembolsa consultas durante o período de recém nascido. Bom, você pensa, ao menos meu seguro pagou por alguma coisa –o seguro da minha amiga não reebolsa nenhum centavo de ajuda com amamentação.

Você quase pega no sono dirigindo para o trabalho. “Isso é loucura”, você pensa. “Meu bebê precisa de mim viva, mais do que ele precisa do meu leite”. Finalmente, você desiste. Você não tem como continuar com essa rotina. Você está triste e muito decepcionada.



Você se torna uma estatística: uma das 41% das mães americanas que desmama antes dos 3 meses. Você sente muita culpa, especialmente quando ouve o quão maravilhoso é amamentar. E agora fica sabendo de um novo estudo que mostra que os Estados Unidos poderiam economizar $13 bilhões por ano se mais bebês fossem amamentados por mais tempo, e como todo mundo diz que amamentar salva vidas e fará a sua mais saudável tambem. Você gostaria que essas pessoas simplesmente calassem a boca.



Então, agora que você leu sobre a diferença entre o que poderia ter sido sua experiência, e o que ela foi de fato, me diga:



Você sente culpa por não ter amamentado? Ou você sente raiva porque não precisava ser assim?
Se você respondeu “raiva”, então pegue essa raiva e escreva para o seu hospital –diga a eles que você quer que se torne um Hospital Amigo da Criança, para que ninguém mais tenha que passar pelo que você passou apenas para alimentar seu filho. Escreva para seus deputados estaduais - diga a eles para apoiar leis que façam amamentar ser mais fácil, como licenciar consultoras de amamentação e requerer que companhias de seguro saúde reembolsem serviços de consultoras de amamentação. E escreva para os seus senadores e deputados federais, diga e eles que você quer deduções do imposto de renda para creches dentro do local de trabalho, e que você não quer que os Estados Unidos contiuem a ser o único país desenvolvido no mundo a não ter licença maternidade paga.


Sim, eu sou pesquisadora e médica, mas também sou mãe. Como eu moro nos Estados Unidos, você pode adivinhar como foi a minha experiência de parto. Talvez você tenha me visto no noticiário dizendo que as mães não devem se culpar. Eu já me senti assim. Então pegue sua culpa e a vire do avesso, e faça algo positivo para que outras maes não passem pelo que você passou. Todas nós merecemos mais!



Notas da tradução:

1) “Co pay”: nos EUA, é comum que os seguros saúde cobrem uma pequena taxa a cada servico prestado (consultas, exames), normalmente em torno de $10 a $20 dolares. Essa taxa se chama “co pay”.



2) Licenças maternidade ao redor do mundo, diferentemente do Brasil, normalmente não pagam 100% do salário durante o período em que a mãe está afastada do trabalho.
3) Conta de desembolso flexível: existe uma lei federal nos EUA que permite que o funcionário deposite dinheiro de seu salário sem ter que pagar imposto de renda, para despesas com saúde ou creche para os filhos. O máximo que pode ser depositado é $5 mil dolares por ano, e o grande benefício é que se paga menos em imposto de renda ao usar esta conta. Porém, o dinheiro só pode ser usado em despesas pré-aprovadas, e se ao final do ano o dinheiro colocado (cada pessoa decide o quanto quer colocar na conta) não for usado em sua totalidade, perde-se o dinheiro.




4) Lei de Licença Médica Familiar: os Estados Unidos não tem lei federal que regulamente licença maternidade paga, cada empresa dá o tempo que decidir, e muitas empresas não dão licença paga nenhuma. Esta lei foi criada para que a mulher possa tirar ate 12 semanas de licença não remunerada durante o primeiro ano do bebê, com a garantia da empresa não demití-la por conta do tempo de afastamento. A lei se aplica também a qualquer funcionario (homem ou mulher) quando se tem familiares doentes, mas durante o primeiro ano do bebê pode ser usada sem ter que se justificar doença.

 
 
Esse video aqui mostra direitinho os efeitos de um parto instrumentalizado ou nao na amamentaçao, fora a experiencia lindissima do "breast crawl"

 
Eu ja tinha escrito  sobre minhas experiencias com a amamentaçao nesse post aqui mas ao ler esse texto caiu algumas fichas, como a questao da peridural e sua influencia......é verdade que coincidencia ou nao, o start com Alex foi bem mais facil e ele foi o unico a nao ter respingos da peridural.
 Todos eles vieram pro meu peito logo apos o nascimento, todos os tres foram colocados ao seio mas inicialmente, a facilidade so rolou com Alex, parecia que eu tinha feito isso uma vida inteira enquanto que com Mathieu foi bem mais complicado e com Ciça tambem!
 
Hoje completamos 15 meses de aleitamento materno, ainda é com satisfaçao que de madrugada sinto uma maosinha delicada procurar um seio pra acariciar enquanto de olhinhos fechados, Alex com sua boquinha tenta achar o outro seio pra dar um golinho......
 

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Dependencia médica, porque ????

Cada vez mais tenho tido a certeza de que nos brasileiros somos mega dependentes de qualquer profissional na area de saude, é impressionante a falta de questionamento, a falta de praticidade ao olhar no termometro e ver que esta marcando 37.5 e se dizer, ok, um banho basta ja que isso AINDA nao é febre.
Eu fico triste ao ler varios pedidos de ajuda diarios no GVA onde mulheres e maes escrevem "O pediatra mandou desmamar...", MANDOU? Como assim? Ai voce percorre a Soluçoes e lê igualmente "Ahh nao sei o que fazer, minha pediatra BRIGOU comigo pois estou dormindo com meu bebe, disse pra eu coloca-lo imediatamente no berço mas eu nao quero e nao sei o que fazer....".
Ai se voce segue essas mulheres, uns meses depois o pedido de socorro é "Ja posso dar frutinha? Meu pediatra liberou......volto a olhar o avatar e a historia da mulher pra compreender que o bebe em questao as vezes nao tem nem 4 meses.....porra, que contrasenso! E o pior, as mulheres ficam realmente aflitas em ter que dizer "Hei, no meu cafofo eu mando.....de a vacina que ja esta de bom tamanho!"

Gente, primeiro, pediatra é médico, ainda que de crianças, MEDICO, nao é especialista em sono  e nem alimentaçao infantil, as opinioes dadas nos consultorios sao em sua maioria pessoal e cultural.....nao tem evidencia alguma por ali! Um erro enorme é essa "amizade" falsa que insistimos em creditar neles, essa segurança paternalista.
Esta com problemas na amamentaçao? Procure um banco de leite!
Esta com problemas de sono com seu bebe? Escute a voz interna que grita dentro de voces, aprendam a desde ja a serem autoconfiantes, voces irao guiar outras pessoas daqui pra frente, sem firmeza nao rola! Nao é dificil pensar o que voces querem, como desejam fazer...sim, tem otimos textos internet a fora sobre a questao pra poder complementar a opiniao e desejo PESSOAL de voces.....pra que perguntar algo pro medico pra depois nao acatar e ainda ficar se achando errada quando no minimo voces estao apenas seguindo estinto?
Estao querendo dicas de alimentaçao infantil, o Ministerio da saude tem cartilha, alias, em todas as campanhas governamentais a preconizaçao basica é "Amamentaçao exclusiva por seis meses e complementada ate dois anos, se nao rolar amamentaçao, leite formula ate seis meses e introduçao gradual da comidinha igualmente pra quem amamenta", nao tem misterio.....
O papel do medico no geral é curar e prevenir doenças......nao ditar maneiras pessoais de criar filhos!
È de importancia as consultas mensais no primeiro ano pra pesagem e vacinaçao, o resto é com voces......é uma delicia ser autônoma, decidir por si mesma em base de nossas convicçoes....é por isso que a pediatra que acompanha as crianças ate hoje acha que eles dormem cada um na sua cama das oito as sete sem acordar nem pra beber agua ou ir ao banheiro....questionar é importante! Informaçao hoje em dia esta super acessivel!
Eu fico preocupada ao ler uma gestante perguntando se pode comer canjica com 27 semanas de gestaçao pois tem DOIS pauzinhos de canela e alguns cravos dentro.......ok, nenhuma duvida deveria parecer ridicula mas fico imaginando essa mulher daqui a alguns meses sentada na poltrona ao lado do berço com um bebe de 15 dias sem saber o que fazer, se dorme com ele, se deixa no berço, se pede ajuda, se da luftal.....e no fundo doida pra chegar o horario comercial pra ligar pra pediatra e dizer que esta zumbizando, que nao consegue manter o bebe no berço ..... é a mesma que ao ver o filho com febre de 38° vai querer correr na pedi ou PS e exigir diagnostico fechado ainda que o unico sintoma seja febre, ai da-lhe exame de sangue e urina sem proposito algum....é uma pena que na nossa sociedade a mulher tenha perdido a total confiança em si, vejo isso na questao parto, na questao da maternidade, da mulher no trabalho, entre escolher se fica com o filho ou se vai à luta e ate se quer ou nao ter filhos! Enfim, a mudança esta em nossas maos ao  criarmos nossos filhos com segurança e passar isso pra eles, que eles podem e devem ser autônomos e decidir por si mesmo sem ajuda de terceiros!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Fazendo uma social!

 Que eu adoro uma social, todo mundo ja sabe.....mas bacana é ver meu filho indo pelo mesmo caminho, alias, ja percebi que Mathieu e Ciça sao tao vira latas quanto mamae e eu, topam tudo!
Conforme a criançada vai crecendo, vao surgindo novas etapas.....é com muita felicidade que tenho acompanhado a evoluçao do Mathieu e amiguinhos, como nessa idade eles ja tem fortes laços, amigos preferidos e dao valor a isso!
Depois de tres anos frequentando o mesmo maternal e o mesmo parque do bairro, Mathieu que é cheio de colegas, ja tem sua turminha......e desde que as aulas retornaram, nao para de receber convites pra festinhas de aniverssario....so esse mês ja foram tres! Alias, dos tres melhores amigos....Jorian, Vincenzo e Djibril!
Ha duas semanas atras, na saida da escola eu vi o amiguinho dele gritar por ele com algo em maos, um convitinho....Mathieu ficou super feliz e logo em seguida, aparece Djibril comentando sobre o convite.....chegamos em casa, li e reli trocentas vezes explicando que o aniverssario seria no McDonalds e ele naquela euforia......eu so nao contava com Chris trabalhando nesse dia, foi um baldao de agua fria quando ele me contou que trabalharia na quarta.....caramba, e ai? Como levar Mat com Ciça e Alex de malinha e chaveirinho? Ainda por cima na cidade ao lado?
Na hora pensei em nao ir, alias, varias vezes, ficava pensando numa mega desculpa pra dar ao Mathieu....e quando eu ia soltar alguma coisa, me aparecia ele perguntando se eu ja tinha providenciado o presentao do amigo.
Bom, eu adoro bater perna, ver gente e fazer amigos, inadimissivel eu sabotar a social do Mathieu, com muita preguiça, medo de me ferrar e desanimo, disse a mim mesmo que o levaria nem que fosse abaixo de neve!
E vamos ao google maps....trajeto feito, caramba!!! DOIS onibus....ahh nao, sera que ninguem pode adoecer, please? Hum....melhor festa do que o consultorio lotado da Dra Fontaine, aborta....praguejei milhoes de vezes nao ter carteira de motorista, parente perto, amiga vagabunda que nao trabalha tipo eu, caramba....ninguem pra dividir o rojao comigo!
Depois de me desanimar com o trajeto, veio na cabeça malinha e chaveirinho......o que fazer? E se Ciça quisesse participar? E se Alex quisesse engatinhar? como segurar os dois FORA da festa? Ohh céus....e pra completar, eu com o costume françola adiquirido, olho a METEO e vejo que a previçao é de CHUVA.....abram a janela  e avisem aos passantes que um corpo de 60 e tantos (nao vou dar precisao, né...)KGs esta pra se jogar!
Ok, é muito drama pra pouca coisa mas sendo neta de Mary Braga, de vez em quando o DNA aflora e da nisso.......
Chega o dia, acordei cedo pra esquematizar tudo, figurinos arrumados, presente em maos.....tropa pronta e la vamos nos! Primeiro onibus, segundo onibus e uma loooooooonga caminhada, escutei zilhoes de vezes o "estamos chegando?" e eis que surge o gigante americano da porcaria.....crianças felizes correndo em direçao e eu tentando acompanhar o ritmo!
Foi pisar no McDonalds pra perceber que eu tinha feito a melhor escolha, ver os amiguinhos e Mathieu euforicos gritando uns pelo nome dos outros e se abraçando nao tem preço.....deixei ele com a turminha e fui pra outra mesa com a dupla me empanturrar.....nem vou descrever meu lanche pra nao assustar, mas fui ao caixa umas tres vezes!
Depois de lanchar e ficar de longe espiando Mathieu, Ciça decidiu ir brincar na area de jogo, Alex ainda entretido comendo maçã e eu de mae/fotografa tentando nao perder um detalhe sequer.....derepente, uma senhora me chama perguntando se a menininha de blusa roxa é minha filha....é, porque? Ela esta la em cima do brinquedo e nao consegue descer!
Merci Cecilia....eu que ainda nao aprendi e escolhi uma calça justa coladissima, tive que tirar o tenis e pagar o king kong de subir no brinquedo pra recuperar minha princesa.....geralmente, isso é trabalho pro Chris mas....sozinha, tive que me virar né!
Enfim, as crianças se acabaram de brincar, Ciça se misturou a massa....cantaram parabens, comeram aquele bolo que tinha cara de estar péssimo.....tao alienigena quanto os personagens tema da festa do McDo, rolou a abertura do presente e agradecimentos E hora de recolher acampamento!
Todo mundo empanturrado e vestido, la vamos nos trilhar a caminhada kilometrica e encarar os dois onibus de volta....eu ainda cabreira ja estava a imaginar Ciça cansada pedindo colo, carrinho, wathever, dando show sem soluçao de acalma-la porque o unico carrinho estava ocupado e o unico colo estava a empurrar o carrinho.
Um km de caminhada e chegamos ao ponto do onibus, Mathieu divagando, uma pequena discussao entre o motorista de uma moto e um carro estora na esquina, aquele mini engarrafamento se formando, um cara na nossa reta numa caminhonete de janela aberta enfia a maozona na buzina, e eis que Ciça grita com raiva.......Nao da pra avançar, nao esta vendo nao?.......Fiquei vermelha, roxa e ri de nervoso, ja estava vendo o cara mandar cinquenta palavroes mas acho que a vergolha o tocou e ele nem se mexeu! Ja vi que Ciça vai me por em varias saias justas daqui pra frente....
Carro vai, carro vem.....e nada do onibus, o gaz acabando e eu tive a ideia de andar ate o outro ponto, historia de nao deixar a animaçao abaixar.....nessa, fomos andando de ponto em ponto ate eu perceber que fizemos a metade do caminho à pé!
Ok, poderia ter andado mais e chego em casa mas decidimos pegar o segundo onibus......chegamos em casa ilesos e felizes, eu por ter dado tudo certo do inicio ao fim, e eles pelo divertimento!
È ai que vejo,  de vez em quando como sou pessimista, tinha certeza de que daria tudo errado, de que seria complicado e no fim nao foi nada disso, as crianças vivem nos surpreendendo......fiquei com vergonha de ter pensado assim e nao ter confiado nos meus filhos! Caramba, parece ate que nao sao educados né......tirando a parte em que Mathieu anunciou pra turma inteira que peidou e o fora que Ciça deu no cara, nada mal!
 Entao é isso, nao sabotarei jamais a social das crianças......Mathieu ja esta com outro convite em maos, festinha nesse sabado E certamente ira!

 Aqui fotos dos meninos ano passado reunidos no carnaval da escola e esse ano na festa do Vincenzo!










Mathieu ja esta tao em clima de festa que anda me cobrando os convites dele pra distribuir pros amiguinhos......calma, so em novembro filho!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Sou desonesta!

Època de eleiçao é um barato, nas vesperas, e talvez somente nesse periodo (dependendo do seu circulo de amizades, claro!) é o unico momento em que voce ouve, lê, fala e  escreve sobre  politica.....vemos a mulherada por ai colocando a boca no trombone e nisso rolam tantas informaçoes interessantes, tanto blablabla.......tanto é que hoje, me declaro oficialmente desonesta.....santo debate orkutiano que me fez descobrir/assumir o que sou!

 
 Entao, como me descobri desonesta? Explico, ja li umas tres vezes uma historinha postada mais ou menos assim:

Fulano, dono de fabrica, precisava de mais costureiras pois estava aumentando o negocio e por falta de mulas,OPS, mulheres qualificadas, ele se juntou ao senac ou sabe la que bosta pra fazer um curso gratis ou a preço interessante para as mulheres da cidade, nao sei quantas fizeram o cursinho e no fim, seu Fulano veio com as propostas de trabalho, e pasmem........nenhuma mulher aceitou, como elas sao filhas de uma puta, desonestas, safadas, preguiçosas e tudo de ruim junto, preferiram nao assinar contrato conservando o bolsa familia E trabalhando informalmente pra ganhar MAIS do que ganhariam sendo escravizadas na fabrica do seu fulano.
 Eu acho isso OBVIO e quer saber, faria o mesmo! Porra, se seu fulano pagasse bem, se o governo mandasse bem em suas propostas, essas mulheres nao dariam um balao desses afinal, seria vantajoso trabalhar de mula pra seu fulano, so eu vejo isso?
Seu fulano nao pagou cursinho porque é bacana e pensa no coletivo, pagou porque queria mao de obra, ia pagar salario minimo e os tais direitos que nao valem porra nenhuma, essas mulheres nao teriam horario flexivel e iriam virar apenas numeros......
Eu fico impressionada em ver pessoas com situaçao confortavel soltando uma pérola dessas, achando absurdo alguem almejar algo melhor.......ficar miguelando por causa de 200 pilas por familia, ai vem o argumento escroto:
"Mas Ju, com essa grana eles nao vao comprar comida, vao comprar celular da moda, calça jeans......vao pro pagode.....vao comer pizza"

 Isso ai, mas é graças a muitas dessas pessoas que quando olham um pobre faz cara de quem esta pagando uma bolsa Hermés e levando uma da C&A que essas mesmas querem se vestir, querem ter.....daonde vem a pressao do consumo, da aparencia? Pois é.......pobre tambem quer diversao, qual é? Eles merecem apenas ralar e agradecer à Deus e ao politico local de comer arroz e ovo todos os dias? Chega né! Acho bacana antes de qualquer critica nos colocarmos no lugar dos outros, pensar com honestidade como é que agiriamos se estivessemos naquela situaçao e parar de falar bonito pra impressionar, discurso vazio so agrada a gente vazia!

 Aqui na França o bolsa familia existe ha anos, ha abusos sim, mas ainda assim é um programa positivo que ajuda muita gente, sao tantos pontos positivos direto e indireto na sociedade que eu passaria horas aqui queimando o dedo......esse papinho de dar peixe ao inves de ensinar a pescar é um tanto ridiculo, um cara afamado que mal fica em pé vai segurar como a sua vara de pesca? Ainda faltam muitos detalhes de melhoria no nosso sistema pra complementar o bolsa familia, alias, falta TUDO no nosso pais, mas vamos parar de jogar o problema pra cima de quem nao tem como carregar...........acho que estao ensinando pouco demais historia nas nossas escolas, uma vergonha cobrar de algumas parcelas do povo certas coisas quando conhecemos o inicio de tudo!

Enfim, sou desonesta sim.....se for medir pela historinha da dona de casa que ferra o industrial pra se sustentar, sou desonesta e torço pra que muitas mulheres continuem sendo tambem!

Esse tipo de papo so teria senso se o ponto de partida fosse semelhante pra cada brasileiro!