domingo, 18 de dezembro de 2011

Mind Games!

Faz mais de 24 horas que estou ativamente debatendo esse mesmo assunto, nao que nao tenha feito no resto da semana, ano, anos.....e durante uma pausa, enquanto amamentava Alexandre, me veio uma lembrança curiosa!
Quando era criança, me lembro que algumas vezes rindo, alguns colegas e algumas primas faziam comparaçoes entre Havaianas e rider. Alguem ai se lembra do chinelo rider????


Mas nao era sobre conforto que falavam, enquanto eu ouvia sem ter muito à dizer, essas crianças comparavam qual chinelo doia ou marcava mais quando eles apanhavam, opinioes divididas, o rider é mais duro e pesado, logo doi mais.....mas o havaianas com sua flexibilidade nao voava das maos do "agressor" ( e coloquei entre aspas porque alguns deles nao via dessa forma, que pena!) e rendia mais......agora o vencedor ao menos em uma casa eu lembro que era um plataforma da coca cola! Se o capeta usa chinelos, certamente é um desses......ok, ele escorregava das maos da agressora meio à confusao mas uma solavada com o mesmo era suficiente pra uma bela marca e minutos de dor! As vezes, raras vezes, essas duas primas escondiam o tal chinelo e nao, nao era prevendo surras porque planejavam fazer besteiras mas é porque de vez em quando, alias, na maioria das vezes, elas vinham de repente ou por motivos banais!

Eu me lembro de ter tomado uma chinelada ou duas, alias, nao lembro da chinelada, mas da ameaça.....acho que eu fui mais resistente, corria, gritava, enfrentava e mamae tambem nao viu logica, nunca perguntei, mas talvez com um chinelo nas maos ela visse a figura do pai, sentia de volta a dor e a humilhaçao nao desejando o mesmo pra mim.....o que importa é que nao, nao levei chineladas à ponto de comparar entre rider e havaianas e nem de esconder o borrachudo da coca cola!

Engraçado é que nesse momento lembranças e questionamentos vem em cascata......por que elas apanhavam? Teriam realmente cometido tantas besteiras assim? Acho que nao.......nao me lembro de termos feito metade do que meus filhos fazem, sim.....nao eramos anjos, nos divertiamos muito e faziamos muitas coisas interditas, alias, o problema é esse, tudo era proibido, inclusive cair e ralar o joelho.
Nao corre, nao pula, nao grita, sossega, para com isso, sai daqui.......ui, ouviamos uma infinidade de vezes e do nada, quando nos ja entediadas de FICAR EM CASA SEM ATENCAO ALGUMA, porque lembro aqui que adulto algum brincava conosco, tirando UM tio que curtia fazer deveres de casa, brincar de matematica e ensinar coisas como aprender as horas, NINGUEM tinha tempo, paciencia ou seja la o que for pra sentar num chao e brincar, ou ao menos se interessar de longe.....e ai, no fim da tarde, depois de termos esgotado nossa criatividade, do nada criava-se um conflito e chovia as tais palmadas.
Em outro lar a coisa era diferente.....o motivo era alguem explodir e estarmos presentes, nao podiamos falar, chorar, ainda que essa pessoa dirigisse um carro ha mais de 200km (tem gente que vai lembrar disso!) num engarrafamento....alias, como é que colocava todos nos em risco dessa maneira? Enfim, a pessoa depois de uma cagada dessas ainda tinha topete pra virar pra tras e distribuir tapas, socos, o que pegasse.....lembro que nesses momentos eu sentia raiva, um imenso constrangimento, vontade de bater e proteger minhas primas, de gritar, de contar pro meu pai e exigir um acerto de contas e tambem a apreenssao de sem querer levar um tapa por engano!
Alias, esse é o ponto, nunca levei! E sabe por que? Por que a agressao era dirigida, pensada, sadica, maneira de estravazar em quem nao tinha culpa mas tambem nao tinha defesa porque outras pessoas pra bater tinha......
Por que bater em crianças é tao aceitavel assim? voces acham que nao doi? que nao rola nada dentro de nossas cabeças? Vejam bem, eu nao apanhei e o simples fato de rpesenciar varias vezes ja me deixa com um bolo no estomago.......entao penso sim em como deve ser a cabeça de quem era agredido sistematicamente e lembrando, SEM MOTIVOS, alias, nao existe motivos, nada justifica agressoes, essa é que é a verdade!

Essa semana a câmara votou e aprovou a Lei da palmada, sao muitas manifestaçoes, mas a maioria CONTRA a mesma......a sociedade brasileira quer continuar tendo o direito de agredir seus filhos com a justificativa de educar!
Tem horas que a cabeça roda tanto que voce diz, caramba.....seria eu uma pessoa iluminada que consigo ver que um tapa doi e é agressao? Porque né......se voce diz, repete, da exemplos, MOSTRA que da pra fazer diferente e a pessoa continua achando que um tapa nao é nada demais, voce so pode ser extra terrestre! Ou um ser altamente sensivel? ou alguem fora da realidade?
Nao é so a questao de achar que so se duca com tapas ou nao, é ao menos adimitir que voce, que usa/usou desse metodo, agrediu com todas as letras e o peso da palavra o seu filho.......nao tem choro nem vela, agrediu e ponto final!
Voce aceita tapa de qualquer um? alias, da tapa nos outros na rua? Aceita tapa do marida??? Ué! por que nao????

O que me doi mais é ver pessoas dizendo "Ahh eu apanhei sim mas merecia!", cara.......voce tem realmente noçao do que esta dizendo? Nao responda pra mim nao, pq convicçao e exemplos nao me faltam, mas responda pra VOCE, seja sincero ao menos com VOCE! Acredita mesmo que voce nao tenha tido CAPACIDADE e INTELIGENCIA de entender as coisas como qualquer um? Que tenha tido necessidade de condicionamento, que nem animais precisam?
Eu entendo aquele perdao, onde a pessoa entende que o contexto dos pais era esse, que apesar de tudo rolava amor ou que tinha fatores que os levavam a cometer a agressao, mas nao entendo mesmo quem tente aliviar o peso da coisa nao aceitando que foi agredido e que seus pais falharam.
Sim, nos pais falhamos, sabia? Por mais que tentamos ser justos, cuidadosos, as vezes falta informaçao, falta maturidade e o erro aparece, mas assumir esse erro é o que da a oportunidade de mudança, crescimento, de uma relaçao saudavel e FRANCA com os filhos.
Sabe qual é um dos exemplos mais marcantes e que mais me orgulha na minha mae? A HUMILDADE em reconhecer o erro e pedir perdao! Isso era tao diferente do resto que eu ainda que emburrada pelos conflitos explodia de orgulho e me dizia, "Ela é diferente! Ela soube ser diferente!".
Esse é certamente um dos exemplos que sigo sem medo de errar ou de ser feliz, erro sim ué, e peço perdao.....e sou perdoada e compreendida, ainda que eles sejam super novos!
Eu ja explodi e dei tapas no Mathieu, Ciça ja levou um tambem......nao, nao foi pra educar, foi reflexo de algo mal resolvido, de uma violencia que um pedaço de mim assimilou como normalidade, mas nao tive duvidas e me descupei, disse à eles que o que EU fiz era errado, para que eles NUNCA aceitassem esse tipo de coisa, porque é ERRADO, independente da besteira que eles tenham feito.....meu papel é apoiar, ensinar, unir, nao despertar dor, magoa, rancor, afastar.
Quando vejo alguem dizendo que merece, pior, sobreviveu, da vontade de perguntar " Por que se contentar com tao pouco?", eu nao quero que meus filhos sobrevivam, quero que eles VIVAM! Voce, que diz que merece, tem uma baixo auto estima e nao percebeu, tem dificuldades em quebrar a imagem materno/paterna com medo de perder referencia, ja que o que resta as vezes é tao pouco......e o problema nao para ai, ele continua quando frente aos seus filhos voce reproduz, deixando bem escondidinho no peito a sensaçao, a tristeza.......nao,nao sou dramatica nao, so nao aceito que pessoas gostam de apanhar, de sentir dor, de serem humilharas, pressionadas!
Ontem, meio à discussao veio um viés interessante......por que idosos com problemas onde vao perdendo gradativamente a cabeça nao apanham? E portanto, se voce nao supervisionar, ele vai continuar fazendo a besteira, nao é? Por que nao ter a mesma paciencia com uma criança? Seria diferenciar os dois, dizendo que criança merece menos respeito? Seria medo do revide, ja que a cabeça fica infantil mas o corpo e força muitas das vezes é de um adlto! Alias, com doentes mentais, tambem precisam de palmadas pra "aprenderem" ou porque repetindo certos comportamentos conflitantes eles "pediram"? Sim, ja ouvi muita gente dizer que bate na fulaninha porque "ela pede"......voce substima seu filho, notou? Nao né.....
Enfim, a minha decepçao é grande.....sei que a mentalidade da maioria nao mudara em uma decada, mas ainda assim acho uma aberraçao numeros de pesquisas apontando 90% da populaçao contra a lei, querendo o DIREITO de ferir e agredir seus filhos......é essa a educaçao que as pessoas ACHAM que dao!
Falta tempo com essas crianças pra serem educados, ja que muita gente vê seus filhos duas horas por dia, falta educaçao de base em todos os sentidos, lazer, falta TUDO e as pessoas atribuem ao fato da sociedade estar cada vez mais desestruturada e VIOLENTA, à falta das palmadas.....que alias, representa infelizmente pouquissimos lares no nosso Brasil!
Por fim, vou deixar aqui uma musica lindissima do John, que foi escrita por outros motivos mas que cabe exatamente no contexto, ate porque,ele tambem era contra a qualquer tipo de violencia e a mulher dele luta ate hoje em varias causas!

MIND GAMES

We're playing those mind games together
Pushing the barriers
planting seeds
Playing the mind guerrilla
Chanting the Mantra
peace on earth
We all been playing those mind games forever
Some kinda druid dudes lifting the veil
Doing the mind guerrilla
Some call it magic the search for the grail
Love is the answer
and you know that
for sure
Love is a flower
you got to let it
got to let it grow
So keep on playing those mind games together
Faith in the future
out of the now
You just can't beat on those mind guerrillas
Absolute elsewhere in the stones of your mind
Yeah we're playing those mind games together
Projecting our images in space and in time
Yes is the answer
and you know that
for sure
Yes is surrender
you got to let it
got to let it go
So keep on playing those mind games together
Doing the ritual
dance in the sun
Millions of mind guerrillas
Putting their soul power
to the karmic wheel
Keep on playing those mind games together
Raising the spirit
of peace and love(I want you to make love, not warI know you've heard it before)

5 comentários:

Milena F. disse...

Volta e meia fico pensando nessas diferenças, e até já comentei que meus pais nunca brincaram comigo... As crianças brincavam sozinhas (ou entre elas)... E hj se os pais não brincam com a criança, é praticamente cadeia na certa!!! heheheh

Fiquei chocada com essa história da criança de 3 anos que foi colocada de castigo na máquina de lavar e morreu... O que uma criança desta idade pode fazer de tão horrível que mereça um castigo desses?

Nine disse...

Guria, esse assunto me revolta, muito! Já escrevi alguns textos sobre o assunto, mas falar disso é remexer em minhas próprias feridas, é falar dos meus pais, mas especificamente da minha mãe, então acabo não extravasando tudo.

Eu não sei como tem gente que acha (e com razão) um ato de violência extrema bater em uma mulherm seja por qual motivo for, bater num idoso, mas ao se falar de crianças acham tudo normal. Não entendo a lógica!

Fico revoltada quando sei que crianças apanham, tem suas orelhas puxadas, beliscões nos braços, puxões no cabelo...o ó!

Bom que a lei foi aprovada, péssima a reação da sociedade brasileira, que ainda acha que os filhos são suas propriedades.

Um beijo,
Nine

Juliana Beaup disse...

Nine, ainda falta o Senado aprovar...batalha ganha mas a guerra ainda esta em andamento!!!

Milena, eu nao vou mentir, tenho uma resistencia pra brincar de jeux de societe com as crianças, nao curto......alias, brincar de qualquer coisa nao curto, MAS acho importante de vez em quando direcionar, participar, mostrar interesse ate pra poder conhecer os gostos deles....eu era filha unica e passava a semana, quando nao os fins de semana tambem, brincando sozinha ou mendingando 5 minutos da empregada atarefada pra sentar comigo.....ninguem la em casa se interessava de verdade, eles tbm nos juntava pra brincarmos e estava bom.....so que é aquilo, criança sozinha faz merda, alias, ate acompanhada e a resistencia de entender que isso faz parte era grande! Derrubar uma droga de copo d'agua ja era um escandalo......eu ja escrevi aqui no blog o quanto isso minou minha auto confiança em tudo oq ue é manual, pq eu sempre escutei da familia inteira que era relaxada e nao tinha jeito pra nada, estabanada.....outro dia Mathieu me cobrou "Mae, porque voce nao senta pra brincar comigo de carrinho".....Porque ja brinquei muito, minha idade passou...e ele entendeu!
Quanto a violencia, eu tbm assumo que se nao fosse muita convicçao e força de vontade, em alguns momentos a vontade é de pegar um pelo braço e jogar num sofa, ter algum reflexo violento, nao por eles, mas porque nos ja estressados e sem paciencia com alguma coisa acabamos descontando no que vem à frente, nesse caso, crianças. O caso da maquina de lavar roupa nao é reflexo, o cara teve tempo pra repensar o ato dele, nao é algo instantaneo e em momento algum ele teve o declic de parar! Mas se nao me engano ele ja tinha problemas com violencia!

Patrícia Gomes disse...

Querida, ao contrário de vc, eu apanhei. Apanhei de cinto, até ficar com marcas nas pernas e nao querer usar shorts até a marca desaparecer. E faço os mesmos questionamentos que você. Não entendo pq a mesma sociedade que diz SIM para a Lei Maria da Penha (nao sem alguma piada, eu sei), diz NÃO à Lei dos maus tratos à infância. Odeio o codinome Lei da Palmada, maqueia demais a realidade das coisas. Tenho uma filha de 3 anos e sou a pessoa mais calma do mundo com ela. Sabe qual o meu maior medo, que inclusive ja falei p o meu marido aos prantos de dar dó? De um dia me descontrolar e bater na minha filha como eu já apanhei. E a dor nunca foi o pior. O pior era a ratificação da minha pequenez, da minha falta de força, da minha impossibilidade de reagir. O medo sempre foi pior que a surra.

Patrícia Gomes disse...

Que tenha um abençoado 2012, tão bem escrito quanto este :-)