sexta-feira, 30 de março de 2012

Aprendizados que tive para educar sem palmadas - por Taty Klein

Achei esse texto da Taty tao completo que resolvi clonar aqui...varios pontos importantes, tudo bem explicadinho, leitura rapida e obrigatoria!!!!

Quase 10 anos – A história de uma educação sem palmadas.



Resolvi fazer este texto, relatando os diversos aprendizados que tive, ao longo desses quase 10 anos (minha filha faz 10 em julho). Aprendizados que recebi aqui na PR, que li em livros, em blogs, filmes, conversas com amigos e, principalmente, LEMBRANDO DE MINHA PRÓPRIA INFÂNCIA E OBSERVANDO MINHA FILHA, e até mesmo pelos exemplos negativos que tive de como NÃO educar uma criança.



Para mim, aprender a educar SEM PALMADAS foi/é tão gratificante, que eu me sinto na obrigação de compartilhar o que aprendi.





Aprendizado 1: ASSUMA O PAPEL DE PAI/MÃE.

Essa é, sem dúvida, a primeira coisa que se deve fazer quando se pretende educar um filho: assumir o papel de educador.

Não importa se o dia foi estressante, se você está de TPM, se a criança está birrenta, se a criança ainda não fala, se você não sabe o que fazer pra contornar um conflito, ... você (pai/mãe) é quem deve ter maturidade, você (pai/mãe) é quem tem o controle da situação, você (pai/mãe) é que se permite perder o controle. A responsabilidade é sua.

Assumir o papel de pai/mãe é também colocar a criança no seu papel, qual seja: de CRIANÇA.

Portanto, por mais óbvio que isto seja, algumas pessoas não se atentam pra essa obviedade:

Pai/Mãe é Pai/Mãe = adultos, que devem agir com maturidade e que tem o direito/obrigação de cuidar e educar os filhos.

Filho é Filho = Criança, imatura, em processo de desenvolvimento, que tem o direito de ser cuidada e educada pelos pais.

Aprendizado 2: CONHEÇA UM POUCO SOBRE DESENVOLVIMENTO INFANTIL.

Você não precisa ser expert em psicologia ou entender as teorias de Freud (que, aliás, são controversas). Mas procure ter conhecimentos básicos do desenvolvimento infantil, como os saltos de desenvolvimento, crise dos 8 meses (angústia da separação), terrible two, a angústia causada pela noção da morte (por volta dos 6 anos), etc.

Ter conhecimento sobre a fase que seu pimpolho está passando ajuda enormemente a entender muitas de suas atitudes. E assim, entendendo as atitudes dos nossos pequenos, fica muito mais fácil lidar com elas. Além de evitar que tenhamos interpretações completamente errôneas como “esse bebê só quer colo porque está mimado”, ou “essa criança fica me testando o tempo todo”, etc.







Aprendizado 3. CRIANÇA É CRIANÇA

Esse aprendizado está muito interligado ao aprendizado anterior (“Conheça um pouco sobre o desenvolvimento infantil”).

Criança vê o mundo de forma diferente dos adultos.

Portanto, não interprete as atitudes dos pequenos como você interpretaria a mesma atitude praticada por um adulto.

Por exemplo, se um adulto diz, de forma proposital, algo que não condiz com a realidade = isso se chama mentira. Já, quando uma criança pequena diz algo que não condiz com a realidade = isso não é uma mentira (pode ser uma confusão que ela faz entre o pensamento e a realidade, ou pode ser a resposta que ela pensa ser a “resposta certa” que os pais estão esperando ao ser questionada sobre algo, etc).

Assim, um adulto falar algo que não condiz com a realidade é MUITO DIFERENTE de uma criança falar algo que não condiz com a realidade.

Além disso, como já foi dito anteriormente, crianças tem suas fases. Eu sei, é chato quando ouvimos “isso é fase, vai passar”. Mas é a mais pura verdade e devemos levar em consideração a fase que a criança está para interpretar suas atitudes.

Outro exemplo de atitude equivocadamente interpretada por muitos adultos, eu falarei nos aprendizados a seguir:
Aprendizado 4: CRIANÇA PEQUENA NÃO TEM CAPACIDADE PARA OBEDECER – AS ATITUDES DEVEM VIR DOS ADULTOS.

É isso aí gente: criança pequena NÃO OBEDECE. Ponto.

Ter consciência de que criança pequena não tem capacidade para obedecer foi um dos melhores aprendizados que eu já tive e que mais me ajudou.

Esperar que uma criança de 3 anos obedeça é tão inútil quanto pedir para um bebê de 7 meses trocar a fralda sozinho.

Ter consciência de que a criança não tem capacidade para obedecer e, portanto, não te obedecerá, evita uns 50% de estresse no dia-a-dia.

E por que a criança não obedece? Simples, porque ela ainda não tem essa capacidade. O cérebro dela sequer está completamente formado para que ela seja capaz de conter seus impulsos.

Muito pelo contrário, nas crianças pequenas, são seus impulsos, suas vontades, seus desejos, que a controlam.

Além disso, a criança mantem uma relação muito forte com o objeto de desejo, com o que quer fazer.

Quando uma criança quer algo, ela QUER, sai de baixo. Ela QUER com todas as suas forças. E fica obcecada pelo objeto de desejo. Grita, esperneia, chora, berra, etc.

Assim, se ela QUER muito fazer algo e você disser pra ela não fazer tal coisa, ela não vai te obedecer.

Portanto, esqueça a obediência. Criança NÃO tem que ser OBEDIENTE. Criança precisa ser EDUCADA.

E como se educa a criança a ter controle sobre si própria? Da mesma forma que a gente deve educa-la a trocar de roupa sozinha. Ou seja: primeiro a gente faz por ela (o adulto é que troca a criança), depois a gente passa a ajuda-la a fazer (a gente ajuda a criança a se trocar)e, depois, então, ela passará a fazer sozinha (a criança aprende se trocar sozinha).

É basicamente a mesma coisa.

Portanto, para ensinar a criança a conseguir ter autocontrole, inicialmente, são os pais que devem fazer isso por ela.

Cabe ao adulto, através de atitudes, IMPEDIR COM QUE A CRIANÇA FAÇA O QUE NÃO PODE. E, da mesma forma, cabe aos adultos, através de atitudes, LEVAR CRIANÇA A FAZER O QUE DEVE SER FEITO.

Desta forma, se a criança quer brincar com uma faca: a responsabilidade é sua (adulto) de retirar a faca da criança. Se a criança quer permanecer em algum local perigoso, a responsabilidade é sua (adulto) de retirá-la do local. Se a criança não quer escovar os dentes, a responsabilidade é sua (adulto) de levá-la a escovar os dentes. Se a criança está subindo em cima de um sofá na casa de uma visita, a responsabilidade é sua (adulto) de impedir tal fato. A responsabilidade é sempre sua. É você, adulto, que vai controlá-la.

Com o passar do tempo, a criança vai criando autocontrole, e aí você vai passar a ajudá-la neste autocontrole. Até que, então, a criança conseguirá se controlar sozinha.

Aqui, podemos retomar os aprendizados anteriores: Assuma o papel de pai/mãe; Conheça um pouco sobre desenvolvimento infantil e Criança é criança.
Aprendizado 5. NÃO SE COLOQUE NA POSIÇÃO DE DESAFIADO

Esse aprendizado é uma consequência dos aprendizados anteriores, como veremos:

Levando-se em conta que os pais é que estão sempre no controle da situação, que não devemos interpretar as atitudes de uma criança da mesma maneira que interpretamos a mesma atitude em um adulto, que a criança é um ser em desenvolvimento e que tem direito e receber cuidados e educação de seus pais, e ainda, considerando que a criança não tem capacidade para obedecer, chegamos à conclusão que CRIANÇA NÃO TESTA OS PAIS, SENDO OS PAIS QUE SE COLOCAM ERRONEAMENTE NO LUGAR DE TESTADOS.

Vamos imaginar a cena: Você está na casa de uma visita e seu filho de dois anos vai em direção a um lindo enfeite de cristal. Talvez o objeto tenha chamado a atenção do pequerrucho pela forma, ou pelos feixes de luz que reflete, ou sabe-se lá porque. Fato é que a criança vai ao encontro daquele valioso e delicado artefato. A mãe, vendo o perigo da situação, grita: “Filho, não mexa aí!”. A criança obedece? Se a criança quiser muito tocar naquele objeto, provavelmente ela irá se virar para a mãe e, olhando nos olhos da mãe, pega o objeto.

Ora, se você disser pra um adulto não pegar tal coisa e, ainda assim, ele pegar. E pegar o objeto olhando pra você, certamente isso é um desafio. No entanto, não é dessa forma que deve ser interpretada a mesma atitude, se praticada por uma criança.

A criança te “desobedece” pelo simples fato de que ela não é capaz de obedecer (lembra?) Ela não é capaz de fazer aquilo que ela está com vontade (São as vontades, os impulsos e os desejos que a controlam, lembra disso também?) Ela sabe que aquilo é errado e que aquilo vai gerar uma atitude negativa nos pais (talvez é por isso que a criança já faz a coisa errada olhando para os pais. Ás vezes até com uma cara feia. Esperando e se preparando para a bronca). No entanto, por mais que ela saiba que aquilo que ela está fazendo é errado, ela não tem condições de não fazê-lo. Portanto, não interprete essa atitude como desafio. Interprete essa atitude como IMATURIDADE. Afinal, é disso que se trata.

Interpretar a atitude de desobediência como desafio por parte da criança é bem perigoso e poderá causar dificuldades lá na frente.

Explico porque: Crianças veem as coisas de acordo com o olhar dos pais.

Por exemplo: se os pais veem uma atitude agressiva normal, a criança passará a achar esta atitude agressiva normal também.

Portanto, se os pais veem a atitude da criança em desobedecer numa atitude desafiadora, a criança também passará a ver a desobediência dela como uma atitude desafiadora.

Agora pense na insegurança que isso poderá gerar numa criança?! Justamente os pais, muito maiores e mais velhos que ela, que deveriam ser mais maduros e mais inteligentes, e que deveriam cuidar, mostrar o certo e o errado, e que deveriam estar no comando, passam a se sentir “ameaçados”, desafiados, por ela, um serzinho muito menor. Isso gera uma insegurança tremenda na criança, fazendo com que ela sinta necessidade (aí sim) de desafiá-los, pra verificar se eles realmente estão no comando (se ela realmente poderá ser cuidada).

E antes, o que apenas era imaturidade, passa a ser, de fato, desafio.

Deste modo, não é a criança que te desafia, são os pais que se colocam na posição de testados.

Ora, não seja um(a) pai/mãe banana, se colocando na posição de testado por uma criança de 2,3 anos de idade.

Se você olhar a situação de desobediência tal como ela é (falta de maturidade, - falta de autocontrole), tais atitudes da criança serão vista por ela mesma dessa forma. E então, além dela não ter necessidade alguma de passar a testar os pais (ela está segura e sabe que os pais tem condições de cuidá-la, pois não se sentem ameaçados e se posicionam como educadores, no comando da situação) fica mais fácil ela aprender a se autocontrolar.

E, logo logo, ela passará a “obedecer”. Ou melhor, ela conseguirá, sozinha, controlar seus impulsos.

Lembre-se dos aprendizados anteriores: Assuma o papel de pai/mãe. Tenha plena consciência de que você é que está no comando. Interprete as atitudes de criança como atitudes de criança. Se colocando dessa forma, a criança se sente segura, não precisará testar nada e vai aprender o que interessa: ter autocontrole.
Aprendizado 6. APRENDA A DIALOGAR, CONSTANTEMENTE.

É muito comum ouvirmos falar “Conversa não adianta” Ou: “Já tentei de tudo, mas ele não me ouve.”

Isso non ecziste! O que existe é que você, pai/mãe, não aprendeu a dialogar.

Taí um dos grandes motivos pelos quais sou contra palmadas: palmadas impedem com que os pais e filhos APRENDAM a dialogar. Dialogar é um aprendizado, que deve ser revisto constantemente, pois a forma de dialogar vai mudando conforme o desenvolvimento da criança. Dialogar com um bebê de 1 ano, é diferente de dialogar com um de 3 anos, que é diferente de dialogar com uma criança de 5 anos, de 7 anos, com um pré-adolescente de 10 anos e por aí vai ...

Além disso, para aprender a dialogar, são necessárias várias outras atitudes dos pais, sendo que todas elas ajudam a criar um maravilhoso vínculo entre pais e filhos e ajudam no bom desenvolvimento da criança.

Portanto, a palmada, além de impedir esse aprendizado – de diálogo entre pais e filhos – ela impede também com que ocorra tudo que está por trás desse aprendizado do diálogo. Não sei se estou conseguindo explicar o que eu quero dizer, mas é basicamente isso: a palmada evita o processo de aprendizado do diálogo. Mas não é só o diálogo que fica prejudicado, mas tudo que está por trás par alcançar este diálogo com a criança.

E, pra aprender a dialogar é necessário, antes de tudo, aprender a OUVIR.

É necessário ter EMPATIA, se colocando no lugar da criança, observando a fase em que ela está, sua imaturidade, as mudanças que ela pode estar passando na sua vidinha, etc.

É necessário dar atenção ao filh@. É necessário observar a criança. É necessário ter tempo com a criança. É necessário aprender como você consegue ser ouvido pela criança.

E é necessário criar uma relação muito forte com a criança, uma relação de afeto, de carinho, de respeito, de confiança.

E a forma de dialogar com a criança vai depender de cada família, de cada criança, e da idade dela (da fase que ela está passando).

Por exemplo, eu acredito que a melhor forma de falar aos bebês o que pode e o que não pode é através de atitudes dos pais (como descrito no aprendizado 4). Ou seja, a forma como você demonstra à criança pequenininha o que é certo e errado é através de atitudes. O diálogo se dá através de atitudes dos pais, principalmente.

Depois, quando minha filha era pequena (até os 3/4 anos), conversávamos através de historinhas. Eu ia contando uma historinha, utilizando como enredo situações que ela tinha passado, mas com personagens fictícios, e ela ia completando a historinha junto comigo, ou seja, se manifestando.

Outra coisa importante, é demonstrar os valores, sempre que possível. Por exemplo, você está assistindo um filme ou novela, a criança passa na sala bem num momento em que um personagem dá um tapa em outro. Se manifeste! Demonstre o quanto aquela atitude é errada. Diga coisas como “Nossa! Que horror!” ou “Que coisa horrível isso de alguém dar um tapa em outra pessoa!” Isso vale também para situações que você vê na rua, como, por exemplo, quando você vê alguém jogando lixo no chão.

Crianças são ligadíssimas ao que acontece ao redor. Portanto, não deixe passar batido.
Outra coisa bacana é dar exemplos de quando você era criança (elas prestam a maior atenção pra saber de como nós, pais, éramos quando criança).

Também aprendi a não ter grandes conversas nas horas das birras e estresse. A criança vai ficar na defensiva e não vai adiantar. Na hora da birra ou da “discussão” seja objetivo, sem muito blábláblá. Depois, numa hora calma, num momento de tranquilidade, em que ambos estejam de bom humor, relembre o ocorrido, de forma tranquila e na boa, e reforce a mensagem que você quer passar. Escute o que a criança tenha a dizer e exponha sua opinião. Você vai se surpreender em como, nessas horas, a criança realmente te escuta e até pede desculpas.

Costumamos ter conversas com minha filha à noite. Perguntamos se ela quer falar alguma coisa, se algo a está incomodando. Ela também nos pergunta se queremos falar alguma coisa sobre nosso dia, etc.

Tenho um casal de amigos com dois filhos que fazem “reuniões” semanais. Mas é possível solicitar uma “reunião” quando sentir necessidade. Cada um expõe o que quiser e sempre que um membro fala, os outros devem prestar atenção. Achei a ideia interessante ...rsrsrsrsrsr...

Outras famílias conversam sobre o dia durante a janta.

Sabe, eu me pergunto se todas famílias praticam isso: sentar e conversar.

Sim, dialogar funciona!
Aprendizado 7. RECONHEÇA E LEGITIME O SENTIMENTO, CRITIQUE A ATITUDE NEGATIVA

Este é um aprendizado que devemos ter não só com as crianças, mas também com os adultos e também com nós mesmos.

Negar os sentimentos “ruins” é prejudicial, além de ser totalmente inútil.

Somos seres humanos, e, como tal, temos todos os tipos de sentimentos, inclusive sentimentos não muito nobres, como tristeza, raiva, ciúmes, inveja, etc.

Como escreveu Clarice Lispector: “Pensar é um ato, sentir é um fato” (Sim, essa frase é da Clarice Lispector).

E é isso que ocorre conosco: temos sentimentos ruins e não temos controle sobre eles.

Imagine você falando para uma criança: “Não precisa ter medo de trovão”

Ok, precisar não precisa, mas como faz pra não ter medo?

“Não fique triste”, “É feio ter inveja”, etc.

Adianta falar esse tipo de coisa?

A criança apenas vai se sentir mal por sentir o que não é pra sentir, além dela não receber qualquer orientação em como proceder diante daquele sentimento ruim.

Portanto, ajude a criança a reconhecer e a manifestar verbalmente o sentimento e a oriente.

Por exemplo: “Tudo bem você ficar com raiva porque eu não fiz tal coisa, mas não grite e não bata a porta. Eu não admito que você grite comigo. Se acalme. Quer um copo d´água pra se acalmar? Quer ficar um pouco no seu quarto?”

Ou: “Eu entendo que você fica chatead@ quando está perdendo um jogo. É normal. Ninguém gosta de perder. Mas você não pode parar de jogar só porque está perdendo. Vai jogar até o fim e continuar tentando vencer.”

Demonstre pra criança que tudo bem sentir assim ou assado, mas o que importa são as atitudes. Assim, você a ajudará a aprender a reconhecer os seus sentimentos e a lidar com eles, de um modo civilizado.

Por exemplo, sabemos que crianças podem agir de forma agressiva, ou com manhas e birras, ou até mesmo fazendo xixi na cama quando algo as incomoda (muitas vezes nem elas mesma sabem o que as está incomodando).

Assim, se você ajudá-la a reconhecer os sentimentos, a verbalizá-los e a lidar com eles de forma civilizada, com o tempo, a criança conseguirá reconhecer tais sentimentos e a compreendê-los. E, mais ainda, ela conseguirá manifestar estes sentimentos de forma civilizada, sem precisar fazer manha, birras ou serem agressivas, apenas expondo verbalmente.

É muito melhor, e muito mais fácil lidar com uma criança que chega e diz “Hoje eu estou um pouco nervos@ por causa de tal coisa”, do que com uma criança que sequer consegue entender o que a está incomodando.

A criança precisa se sentir segura para expor o que sente. E precisa ser acolhida, sempre. Não julgue e não menospreze o sentimento dela. E a oriente com relação às atitudes.


Aprendizado 8. SEJA SINCERO

Não tenho muito o que falar sobre este aprendizado, pois ele é muito simples. É apenas isso: Seja sincero.

Para crianças terem confiança nos pais é preciso que estes sejam sinceros.

Tenho pavor de promessas que os pais sabem que não irão cumprir, de enganar a criança, essas coisas.

Esse tipo de “enganação” faz com que suas palavras percam o valor. Aí, todo aquele processo de aprender a dialogar com a criança vai por água abaixo.

Portanto, seja sincero.

Além disso, quando você for explicar ou justificar algo para a criança, pense sempre a real necessidade daquilo.

Por exemplo, quando você precisar convencer a criança a tomar banho, pense e diga sobre a real necessidade de se tomar banho. As pessoas não tomam banho para ganhar sobremesa, ou para poderem jogar vídeo-game. As pessoas tomam banho para não ficarem fedidas (vivemos em sociedade) e para não ficarem doentes (terem higiene).

Quando a criança pergunta coisas que você não sabe, não tenha medo em dizer que não sabe.
--------*-----------------*----------------------*-----------------*--------

Dispensa comentarios, né?!!!!!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Textos ridiculos - parte II

Entao voce se descobre gravida, emoçao à mil, expectativa, familia festejando (ou enchendo o saco desde ja!), todo mundo feliz e pah, voce marca a primeira ecografia......fica doiiiiiida pra ver o sexo do bebe, enche o saco da médica pra que ela dê um resultado 100%, mesmo ela dizendo ser impossivel, insiste...sai sem nada de concreto do consultorio e ainda meio tristinha resolve ir pra net relaxar.
Ao inves de ir ver moda, economia, trabalho, amigos ou algo de sempre, voce, picada pelo mosquito da maternidade, corre em sites sobre o assunto e entra em milhares de comunidades no orkut, corre no perfil do face de amigas ja maes, acha listinha de blogs e devora......ate que voce encontra esse texto e das duas uma, ou voce se identifica de cara porque nao prestou atençao em nada, so se fixou no "vou ser mae, uhuuuuul", ou broxa de vez rezando à todos os santos pra vir um MENINO!


"20 coisas que aprendi sendo mãe de menina
1) o melhor e maior presente da minha vida
2) acostume-se com o mundo cor de rosa
3) a princesa dos contos de fadas agora mora na sua casa
4) acostume-se a dividir sua maquiagem
5) elas falam, falam, falam – se identificou?!?! MULHERES…
6) Barbie, Hello Kitty, Cinderela, Branca de Neve, Alice, Ariel, Rapunzel, Minnie… fazem parte do nosso dia a dia
7) acostume-se a dividir seus esmaltes… aqui em casa, quando a manicure chega é uma festa!!!
8 ) elas desfilam, posam, fazem caras e bocas…adooooro!
9) meiguice, carinho, abraços, beijos… fazem parte do universo feminino (quase sempre, né??)
10) elas amam dançar… toda menina tem um lado bailarina!!! Eu amo ficar escondida vendo ela dançar… FOFA
11) amam doce!!! Assim como a mamãe… é a genética feminina, né?!?!
12) panelinhas, fogãozinho, carrinho de boneca… uma vontade enorme de fazer tudo igual a mamãe – é impressionante!
13) elas adoram se arrumar, escolher as roupas, sapatos… meu Deus, eu não lembrava que começava tão cedo!!!
14) são manhosas… cuidado! Com aquela carinha linda de boneca, elas quase sempre te convencem a fazer o que querem…
15) olhar para minhas filhas e ver um pouco de mim me emociona
16) elas amam acessórios: bolsas, pulseiras, brincos, colares, tiaras… outro fator bem genético!!!
17) são teimosas…. muitas vezes me tiram do sério!!!!
18) como podem ser tão lindas?!?!
19) são minhas grandes amigas, companheiras, confidentes… nossa é muito AMOR
20) eu nasci para ser mãe de menina, AMO tanto – não consigo me imaginar sem essas pequenas ♥"

Lindo né? ainda tem um coraçao no fim......mas entao, se depois de ler esse texto ai, voce ainda que desencorajada teve a confirmaçao de que vai ter sim uma menina, CALMA!!!! Isso tudo é MENTIRA amiga.....nao caia em desespero, nao criemos pânico!


1)Filhos é presente independente do sexo, ate porque, nasce menina mas se vai morrer menina é outra historia....

2)Por que cor de rosa?????? Ciça é fan de violeta, eu de laranja e o pai dela de cores sobrias e preto......ela tem de tudo, usa camiseta do Ben10 quando ta afim e mais, meninos modernos tambem usam rosa, viu!

3)E se tivesse um menino, poderia ser o principe......mas quer saber, vai ver eles nem escolherao ser o personagem principal mas outro de ponta as vezes bem mais interessante!

4)Pronto! Mas quem garante que a menina vai curtir maquiagem?????? Conheço tanta menina e mulher que nao curte.......ate porque, meninos tbm se maqueiam pra carnavais né! Acho cafona essa iniciaçao da menina à maquiagem e afins desde cedo como se fosse obrigaçao.

5)Ihhhhhh, voces nao conhecem Mathieu!!! Eu acho que meninas aprendem a falar mais rapido, o que é achismo MEU, mas meus meninos aqui falam tanto quanto Ciça, Alex no seu idioma particular e Mathieu que ate briga com Ciça pelo direito de falar mais!!!

6)Mathieu ja pediu (e ganhou!) Barbie, ano retrasado o desenho preferido dele era "Hello Kitty no mundo da maça encantada" ou algo assim, e ele adora contos de princesas, ja pediu a bela e a fera e agora quer cinderela.........ja Ciça apesar de curtir isso tudo, tbm gosta de Batman Forever, Toy Story, Sonic le rebelle (um porre!) e varios outros desenhos "de meninos"!

7)Affe, sempre esse esteriotipo "fofinho" da menininha imitando a mamae querendo se cuidar......bom, Mathieu tbm ja pintou as unhas pela mesma razao que Ciça.....tah, ela curte bem mais do que ele que ja entendeu que no mundo dos grandes, isso é "coisa de menina"!

8)Pera, nem vou falar nada, so por aqui umas fotos!







Ta bom pra voce? e isso pq estou sem muitas fotos nesse pc!

9) A menos que voce crie um ogro macho, meninos tambem sao carinhosos e beijao mooooito.....Mathieu no portao da escola nos beija (Ciça, Alex e eu) religiosamente antes de entrar, ainda que os amigos nao façam, tambem vive se jogando no colo do pai pra dar beijo, abraço....diz "eu te amo" sem problemas e com enorme frequencia, tudo igualzinho à irma!

10)Pera, um video especialmente pra voce!




11)Genetica feminina? Ué.....entao homens nao curtem chocolate? Cai mal entao porque meus dois filhos sao chocolatras, Ciça prefere balas e chicletes (beurk!).

12)Impressionante é o machismo e a falta de noçao da pessoa! Mathieu sempre brincou de fogao, panelinha, e sendo o mais velho, hoje tem o barato de me ajudar na janta e por a mesa....alias, aqui nas salinhas do maternal tem um mini quarto e cozinha e os meninos tambem brincam, imitando mamae e PAPAI, ja que homem aqui vem com braços, pernas e inteligencia suficiente pra cozinhae, lavar....

13)So começa cedo quando a influencia é igualmente precoce, fora que meninos tambem curtem se arrumar, se perfumar......Mathieu ja escolhe o modelo de tenis que vai usar a estaçao todinha sozinho, assim como Ciça escolhe seus sapatos!

14)Se tem uma palavrinha que me desperta nojinho é essa, "manha/manhosa".....affe!Meninos tambem sabem ser convincentes, apelar pro emocional, nao precisa ser menina pra ter manha nao!

15)Olhar pros meus FILHOS e ver "um pouco de mim" tambem me emociona, afinal, o menino tambem é meu fruto, tambem tem meus traços, alias, Mathieu tem varios tiques nervoso igualzinho aos que tinha quando criança, a agitaçao tambem é a mesma!

16)Meninos tambem curtem acessorios.....chapéu, boné, bracelete, colares, tatuagens de mentirinha, cinto transado, mascaras......Mathieu tem uma penca, nao tao grande como as parafernalhas da irma, mas tem! E nao, nao tem nada de genetico nisso......ta cheio de meninas que ODEIAM acessorios!

17)Me tira do sério gente ignorante! Teimosia nao tem nada a ver com genero nao, meninos tambem sao teimosos, e nao, nao é bonitinho o esteriotipo de mulher mimadinha e teimosa que faz tipo pra marido, entao nem pense em ensinar isso para suas filhas ou achar que isso é naturalna mulher porque nao é!

18)Por que meninos sao feios?

19)Por que sao nossos inimigos? Falta amor?

20) Acho que voce talvez nem tenha nascido pra ser mae porque cara, vai criar um ser insuportavel hein! Mimada, esteriotipada, machista, que poe beleza frente à tudo, ate de inteligencia, ja que voce que escreveu essa preciosidade parece nao ter né......ui! Ainda bem que nasci inteligente pra amar filhos, independente do que sejam e bem conciente pra nao continuar perpetuando o machismo e essa cultura "feminina" inutil!


Ate agora, a grande diferença entre ter menino e menina foi a troca de fraldas, o resto? TUDO igual, considerando que serers humanos sao diferentes ainda que sejam do mesmo sexo! Tenha sua menina tranquila......é bem mais agradavel e bacana do que o retratado nesse texto, e nao, meu filho ate agora nao se pronunciou gay, porque né......gostando de Hello Kitty, dançando e comprando chapéu,sendo carinhoso, brincando de panelinha, na cabeça do povao, so sendo gay! [fechando na ironia!]

Um lembrete, nada contra a mulher ser vaidosa e se cuidar na medida, eu tbm curto maquiagem, acessorios e ate um cor de rosa de vez em quando, mas nao, isso nao é obrigaçao do genero.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Textos ridiculos -parte I

Maternidade é um tema extenso né,ja começa com gestaçao, parto, fora temas agregados que acabam aparecendo como questoes de aborto, contracepçao.....com isso, é enorme a quantidade de textos bacanas, ou nao, que chovem por ai!
Tah, nao vou ser a nova "shame" da parada e nem vou ficar gongando blogs/posts alheios, mas essa semana me deparei com varios textos no orkut e afins que da pra rir, chorar, questionar, refletir.....uma beleza!
Um deles é esse aqui, que vou postar e comentar sobre maes americanas X maes italianas.
Nao consegui achar a autoria da proeza, se lguem tiver, mande a dica!
Entao, o texto é bem cliché, compara as duas culturas de modo bem raso, mostra que algumas pessoas dao um super valor à ascensao da mulher!
Lembrando que nao tenho absolutamente NADA contra a cultura italiana, e alias, acho que nem foi bem retratada....assim como a americana tambem nao foi!
"COISAS DE ITALIANOS...
Aprendemos a viver com os italianos e a programar a vida com os americanos. Contudo, os italianos crescem e morrem juntos com suas famílias, amigos e irmãos, enquanto os americanos crescem e morrem
sozinhos, pois foram expulsos de suas famílias aos 18 anos e não aprenderam a conviver com o coração com seus pais, amigos e irmãos.
Para tudo!!!! Como assim morrem sozinhos?Alias, no mundo inteiro tem pessoas morrendo sozinhas, mas ai é problema de carater, nao cultura!

Vejam abaixo o que acontece no decorrer da vida.

Filhos Americanos: Saem de casa até aos 18 anos com total apoio dos pais.
Filhos Italianos: Saem de casa aos 35 anos, depois de poupar o suficiente para comprar casa e pagar duas semanas de lua de mel quando casarem... Mesmo assim, mantém um quarto na casa dos pais para os fins-de-semana.
Sim, porque entao batalhar pelo que é seu, experimentar dificuldades no inicio da vida pra dar valor ao que tem é ruim? Legal é um cara de 35 anos sendo bancado e cuidado pra poder comprar carrao?

Filhos Americanos: Quando a mãe os visita leva um bolo, os filhos servem café e eles conversam.
Filhos Italianos: Quando a mamma os visita, leva comida para 3 dias, lava e passa roupa, limpa e arruma a casa.
Olha ai a "mamma" empregada......bom né, negocio é eu ficar lavando e passando roupa de filho e limpando a casa, ja que minha funçao é apenas essa, CUIDAR, SERVIR! Trabalhar fora e nao ter tempo pra isso, nem pensar.......alias, ensinar meus filhos (e filhas) a se virarem sozinhos? pra que né!

Filhos Americanos: Os pais sempre avisam quando vão visitá-los e isto acontece só em ocasiões especiais.
Filhos Italianos: Eles nunca sabem quando os pais vão aparecer às oito da manhã de sábado e começar a podar as suas árvores frutíferas. E, se não houver árvores frutíferas, eles plantam.
Nao é à toa que nao so na cultura ilatiana mas em outras, como na nossa brasileira, sogra = cobra.....a minha nao é americana mas é francesa, liga sim pra avisar com dias de antecedencia que esta vindo, nunca me pegou descabelada, de pijama ou abusando do filho dela, tambem nunca se meteu na minha vida, por que sera? Eu detestaria alguem entrando no meu jardim e escolhendo o que plantar ou fazer no meu lugar!

Filhos Americanos: Sempre pagam aluguel e procuram nas páginas amarelas quando precisam de algum serviço.
Filhos Italianos: Ligam para os pais e tios, pedindo o telefone de outros pais/tios que possam saber do serviço que eles precisam.
Nada à marretar, afinal nao entendi o lance de "sempre pagam aluguel" e apesar de adorar uma autonomia e achar um porre a mania de uns e outros em se apoiar e se acomodar, nao vejo mal em pedir indicaçao nao!

Filhos Americanos: Visitam os pais para comer um bolo com café -e fazem só isso, mais nada.
Filhos Italianos: Visitam os pais para tomar um café, comer bolo, antipasto, vinho, um bom prato de massa, carne, salada, pão,
sobremesa, frutas, expresso e uns drinks após o jantar.
Entao filhos americanos nao jantam com seus pais? Ok, a cultura da "entrada, prato principal, queijo, sobremesa e café" tambem é forte por aqui e acho que nao faz parte do cenario americano, mas so por isso o tempo que eles passam juntos é menor?

Filhos Americanos: Cumprimentam os pais com "Oi" e "Olá".
Filhos Italianos: Cumprimentam os pais com um grande abraço, beijos e tapinhas nas costas.
Ai ai ai.....mas um esteriotipo que doi, entao americanos nao se beijam?

Filhos Americanos: Tratam os pais por sr. e srª.
Filhos Italianos: Tratam os pais por mamma e babbo..
Devo ter visto filmes, lido livros e conhecido apenas exceçoes porque eu achava que Mom, Dad e afins existisse.....ou os americanos (e outros) deveriam tambem chamar seus pais de mamma e babbo porque é mais carinhoso? hahahahahhaha

Filhos Americanos: Nunca viram os pais chorar.
Filhos Italianos: Choram junto com os pais.
OMG, morri.......eu ja vi o David Goldman chorar, ou nao chorou? alias, ta ai, o cara passou mais de 7 anos lutando na justiça pra ter o filho de volta, fariam os italianos o mesmo sabendo que nao teriam uma "mamma" pra por a mao na massa? E sera que o Sean nunca viu os inumeros videos do pai suplicando pela volta dele?

Filhos Americanos: Devolvem o que pedem emprestado aos pais em poucos dias.
Filhos Italianos: Ficam com as coisas que emprestam dos pais por tanto tempo que os pais esquecem que são deles.
Porque bom mesmo, é ficar com o que é dos outros.....ai depois a pessoa pega habito, transfere pra amigos, colegas......aquela infinidade de livros que emprestamos e que nao vemos nunca mais.....otimo exemplo!

Filhos Americanos: Quando o jantar acaba vão para casa.
Filhos Italianos: Quando o jantar acaba ficam horas conversando, rindo ou simplesmente confraternizando.
O autor do texto tem problema com comida e jantares, nao é possivel.....terceira ou quarta vez que ele fala sobre isso, parece que a base da relaçao é o rango, eu hein!So faltou o "mulher italiana é otima esposa porque cozinha bem e americana é péssima porque compra tudo congelado!"

Filhos Americanos: Sabem pouco sobre os pais.
Filhos Italianos: Podem escrever um livro sobre os pais.
Han? NEXT

Filhos Americanos: Comem sanduíches de manteiga de amendoim, geléia e pão de forma branco.
Filhos Italianos: Comem sanduíche de salame, queijo colonial, pão caseiro, crostoli, conservas...
Nada demais......brasileiros curtem pao com presunto ou mortadela, blablabla....

Filhos Americanos: Deixam você para trás se é isto que a maioria está fazendo.
Filhos Italianos: Não lhe abandonam mesmo que a grande maioria ache normal abandonar.
Ahh sim, a eterna chantagem emocional onde o filho tem mais é vontade de viver mas vive acorrentado aos pais, ja que foram os mesmos que o colocou no mundo e blablabla......eu quero mais é que meus filhos vivam suas vidas ué, nao fiz filho pra ter babysitter garantido na terceira idade nao!

Filhos Americanos: São amigos do momento.
Filhos Italianos: São amigos por toda vida.
Obvio que nao tirou de lugar nenhum né.....tipo, frase que o autor acha bonitinho e de efeito!

Filhos Americanos: Gostam de Rod Stewart e Steve Tyrell.
Filhos Italianos: Gostam de Laura Pausini e Andrea Bocelli
Posso juntar o Stewart que AMO com a Pausini?

Filhos Americanos: Vão ignorar esta mensagem.
Filhos Italianos: Vão repassar per tutti gli amici oriundi.

Bom, se voce é americano, morra......voce é frio, calculista, passa a sua vida inteira querendo distancia dos seus pais, é ingrato....ou talvez nao, porque as maes americanas nao sao amorosas né, ai é so uma questao de resposta!Come mal, nao sabe beijar, nao tem amigos, paga aluguel......tua vida é uma merda hein!

Agora se voce é italiano, ou melhor, de cultura latina, ahhhhh parabens......voce nao sera nenhum pouco mimado, incapaz de lavar uma cueca, nao é nem um tiquinho machista, da um valor absoluto à familia ainda que vivam caindo na porrada e se agredindo verbalmente e ira carregar seus pais nas costas ateeeeee, afinal, gratidao é tudo né!

Eu so queria entender porque pra vermos pontos positivos em nos mesmos ou em nossa cultura, precisamos marretar os outros......o texto poderia ser lindinho e cheio de açucar se quem escreveu fizesse o favor de nao comparar nada, se apenas lembrasse coisas bacanas da cultura italiana, mas à partir do ponto em que a pessoa precisa marretar alguem pra subir, tem algo errado ai!
Aqui eu ja escutei zilhoes de vezes de algumas brasileiras que sim, elas sao mais carinhosas que as francesas, sao melhores, sao mais bonitas, sao mais sexy, coziham melhor, cuidam melhor do marido (que dizer?)......mereciamos um premio porque melhor do que as brasileiras, nao existe!
A liçao que quero pro trio é de que nao precisamos desvalorizar nada e nem ninguem pra termos valor ou se auto afirmar......cada um com seu cada um, o mundo é feito de escolhas e se eu acho a linha melhor, que eu deixe quem escolheu diferente em paz....questao de respeito né!

terça-feira, 13 de março de 2012

Chegou um bêbê, nao caiu uma bomba!

Depois de uns dois meses sem acompanhar grande coisa na net, tive dois dias de euforia, passeei por varios blogs que nao via faz muito tempo e descobri que nao perdi absolutamente nada.
Tirando um ou outro, o "acompanhar" vira habito, tipo novela.
Nesse passeio por blogs, saimos de um pra cair em outro e no fim, chegamos
à pagina de pessoas sem nem se lembrar por onde viemos e nessa "passeada" pelo mundo virtual, entrei em um que tambem fala sobre maternidade onde o assunto era a chegada de um bebe, de coisas que TODA mae sente, passa e blablabla......fui lendo, descendo a barra e me dizendo, ué? Mas nao fiz isso, tambem nao pensei nisso......e tirando um ponto ou outro em comum, comigo foi TUDO diferente!

Ate hoje nao sei dizer o que faz essa diferença, se sao as informaçoes, se é a habilidade dos pais, se é uma busca de resultados mais adequada com o periodo em que o bebe esta passando, se é o bebe que as vezes é mais calmo......nao da pra julgar, nao da pra afirmar, ate porque, somos todos diferentes né, o fato é que lendo algumas pessoas, a impressao que rola é que nao chegou um bêbê mas que caiu uma bomba dentro de casa.

No tal blog, a postagem se resume em tudo o que voce nao fara mais por alguns poucos meses (o publico do blog nao representa a maioria nao, muita gente com baba e afins)tipo ir num cinema,e pinta uma mulher que nao se cuida e fica de pijama o tempo todo, com calçolao (sorry, sai da maternidade de String tah!), com sutiens de maternidade feinhos, protetores......uma cena feia de se ver onde melhor é se esconder do marido!
Bom, realmente é meu avesso!

Vou postar aqui como foi a minha primeira experiencia, pra mostrar que da pra ser voce mesma, se divertir, viver, dormir, comer......fazer tudo na medida do possivel com um RN em maos!

Quando voltei da maternidade com Mathieu,passei uns 4 dias dividindo tudo com Chris, a amamentaçao nao tinha engatado, eu dava formula e o peito era um complemento.....depois desses dias ele teve que voltar a trabalhar, na prieira tarde sozinha com ele eu fiquei sim apreenssiva, tipo, o que eu faço com um bebe?
Eu sempre ouvia que era bom deixar no bercinho né, colo? "isso é perigoso, depois ele vai se acostumar mal, nao faça isso menina!"_, nos primeiros dias eu ate tentava, mas quando percebia, ja estava com ele no colo enchendo de beijos......a revelaçao veio num dia em que estava no computador, nada de bom pra ver, eu nao tinha muito conhecimento de internet, orkut ainda estava fresco e eu entediada, olhava pro Mathieu no bebe conforto, olhava pro PC, me lembrava dessa coisa do colo ate que eu tirei ele dali e pensei "Porra, pra que ter filho entao se eu nao quero as "mudanças" que vem junto? Se é pra ficar tudo na mesma, melhor nem ter né.....e outra, que desperdicio, ao inves d'eu aproveitar essa coisa fofa, esta ele ali num troço de plastico igualmente entediado, chega!" Peguei ele no colo e nao larguei mais! Ao inves de caçar programa de TV, eu ficava o dia inteiro dando beijos, trocando roupinhas pra tirar fotos, dormia muiiiiiiiiiiiito com ele, abria o meu sofa cama e fazia ali o meu QG, com um garrafao de agua, o controle remoto e me distraia......lia revistas,livros, falava ao telefone, ficava no msn com a Rê, tudo com ele ao lado!
Agora vamos aos pontos praticos?!!

Camisola o dia inteiro? Sim, eu SEMPRE fiquei de camisola em casa o dia inteiro, sempre tive uma coleçao, adoro......hoje descobri que algumas lojas tem a tal sessao de "homewear", que nada mais é do que pijamas e camisolas mais comportados, roupa de andar em casa confortavel. Isso impedia de eu tomar banho, me pentear, passar um rimel? NAOOOOOOOOOO......alias, a primeira coisa que eu fazia de manha era tomar banho, eu gostava de estar sempre fresca pro baby e esse habito adiquiri ja na maternidade, onde infelizmente tudo tem horario!

Mas eu nao consigo nem comer!!!!!! Como assim gente? Eu acho que o problema é o "cardapio" que a pessoa escolhe porque eu nao vi dificuldade alguma em comer.....tah, eu nao tinha tempo e disposiçao pra fazer lasanha, mas dava pra comer super bem, ainda mais que sendo apenas Chris e eu, a obrigaçao de fazer comida era ZERO, ja que ele tem duas maos e tambem cozinhava, e pelo fato de que eu sempre curti mini lanchinhos, entao fome? nao tive nao!
Ele nasceu no periodo das "mandarinas", sao tangerinas pequenas e deliciosas, nao vivia sem......era otimo, comia uma atras da outra, tambem
curtia ter sempre pao e queijos na geladeira, um lanche rapido e que me deixava satisfeita! Tinha meu biscoito preferido e pras refeiçoes, valia uma saladinha com peito de frango rapido na chapa, ou um bife, macarrao....enfim,dava pra comer numa boa!
Ta certo que Mathieu nao foi aleitado, mas com Ciça e Alexandre eu nao cortei NADA da minha dieta, ate o café eu continuei tomando na parte da manha......nao, aqui nao influenciou em nada, nao tiveram gazes e nem colicas, MAS é bom fazer atençao na reaçao do baby porque tem sim os mais sensiveis, entao, aleitamento nem sempre significa dieta e cortar as coisas boas da vida, tipo um chocolatinho!

Nao consigo limpar a casa!!!! Bom, é complicado entrar no criterio de limpeza de cada um né, tem gente que curte tudo impecavel e ja tem crise com uma caneta fora do lugar, nao é meu caso, mas eu demorava 15 minutos no maximo pra limpar meu apartamento, e ao contrario de muita gente, eu nem sempre fazia com Mathieu dormindo mas sim acordado.....eu dava tanto colo pra ele, que quando precisava de 15 minutos, ele ficava de boa, ia levando ele comigo pros comodos, conversaa, sempre no campo de visao e ele ficava. Com Ciça foi diferente, ela ja era colomaniaca mas nada que um Wrap e um pouco de habilidade nao desse jeito!
Ja maior, eu deixava ele no berço (unica serventia, além de estocar ali roupas limpas saidas do varal!)e partia pro ataque, se voce faz 15 minutos diarios (sem a louça!), nao tendo uma casa muito grande, da de boa....eu passava aspirador, o pano humido, rapida limpeza no banheiro, as vezes tirava um po e pronto! Como eramos so nos tres, nao precisava limpar todos os dias, entao quando leio algumas pessoas, fico tentando entender porque a lembrança que eu tenho, é de ter passado boa parte desse primeiro ano no sofa deitada ou na rua batendo perna!
Sono, o pesadelo da maioria das maes! Eu sempre ouvia a ladainha de "Ele dormiu, durma com ele hein!"......mas olha, nao é ladainha nao, é a melhor coisa que voce pode fazer!
Eu sempre curti muito os tres primeiros mses e sabe por que? Porque eles sao imprevisiveis, é o bebe que faz a rotina e voce vai adaptando, porque os dias nao sao iguais, porque rola uma liberdade (voce deve estar me achando louca, né?) de carregar o bebe pra onde quiser porque o que ele precisa e quer, é colo, eu adorava deitar no sofa-cama com TV ligada e dormir com ele, nao via horario, nao me preocupava com o ritmo, importante era dormir, e dormiamos muito! Essa coisa de que eles acordam de duas em duas horas, nao é bem assim nao,ao menos, nao se voce estiver sempre por perto!
Como eu nao ficava nessa coisa de querer por no berço, nao tive aquela coisa de dormiu no colo, ponho no berço, acorda e começamos tudo outra vez.....ele ficava brincando comigo no sofa cama, quando via os sinais de sono, sentava com ele deitado no colo, ninava e ele dormia, colocava ao meu lado, me agarrava nele e dormia junto!
Tem uma recomendaçao importante de manipular o bebe de tres em tres horas, ainda mais no primeiro mês, mas se ele dormiu cinco horas direto, nao tem problema, essa é a noite completa de um RN....entao eu vivia descansada.

Tres meses enfurnada dentro de casa, que castigo!_ Gente, isolamento nunca faz bem, ainda mais quando estamos numa situaçao totalmente nova com os hormonios bagunçados......eu me lembro ate hoje que na alta da maternidade, a enfermeira conversando comigo me deu a dica de por um travesseiro no carrinho por cima do Mathieu (era inverno!) e sair de casa ainda que estivesse nevando pra dar uma volta no quarteirao, que respirar um ar, se trocar, ir num mercadinho, ver pessoas, era essencial, para eu nao cometer burrada de me fechar dentro de casa com o bebe porque é um dos ingredientes principais pra uma boa DPP ou baby blues!
Com Mathieu eu sai muito, so tinha ele, passava tardes e tardes na casa da Karoline( ela tinha gemeos um de um ano!), iamos à cafes,parques,ate em shopping no meio da semana, quando ficava vazio.....era otimo! Com Ciça e Alex ja tive mais dificuldades, sair com um RN é mole, mas com um RN e crianças um pouco maiores que precisam de ajuda e supervisao constante, é mais cansativo.

Colicas!! Socorro, ele chora sem parar! Mathieu nao teve colicas, alias, nenhum deles tiveram......so Ciça teve o efeito vulcao, aquele choro no fim de tarde onde eles estao exaustos e nao conseguem adormecer, mas como eu ja dava muito colo e ja tinha sacado que é o que ela queria, o choro nao persistiu muito.
Eu ouso dizer que pouquissimos bebes tem de fato colica, a maioria tem é carencia, é insegurança......tanto que na maioria dos casos, é por no colo pra parar de chorar! Nessas horas, o sling ou Wrap cai muito bem!
Mathieu so chorou por dois dias e duas noites quando os primeiros dentes sairam, eu fiquei sim perdida, nunca tinha visto ele chorar, ficamos esse tempo todo na sala onde ele dormia e acordava sem parar incomodado.
Eu fico impressionada com a quantidade de remedinhos que as pessoas dao,pior ainda é que nao funciona mas na proxima sessao de choro, elas voltam com o remedinho esperando milagre.......nao, remedio algum cobre esse pedido de colo e aconchego, choro é comunicaçao, nao é apenas uma expressao de dor......soltar pum nao é ter gazes, TODO mundo peida gente, bebe nao é diferente né!
Uma dica é sempre antecipar as sonecas, é por o baby pra dormir ANTES dele mostrar cansaço e começar a chorar! Um livro que amei e explica isso tudo, falando sobre extero gestaçao é "O bebe mais feliz do pedaço, do dr Karp"....obrigatorio na cabeceira, esqueçam Nana Nene, Tracy Hogg, nao queiram por seus filhos numa forma, a unica coisa que TODOS eles precisam, é colo e aconchego....

Enfim, as lembranças que tenho da chegada do Mathieu sao essas....ok, cada uma tem seu jeito de ver as coisas, tem a sua rotina ja definida, suas prioridades e sente de forma diferente a chegada de um bebe, esse post nao é de forma alguma um combustivel pra voce, que esta tendo dificuldades, se julgar uma péssima mae e ficar com raiva, nao, nada disso.....é apenas pra que voce possa refletir se voce nao esta exigindo demais de voce, se nao esta esperando demais do seu bebe, se nao esta complicando coisas que na verdade sao simples mas que como mae de primeir viagem, sem nenhuma referencia, voce nao se deu conta!

Eu realmente fico assustada com certos relatos porque vivi exatamente o contrario, as vezes vejo mulheres ate com diarista e baba reclamando de nao dar conta e eu fico buscando que tanto trabalho essa mulher tem pra nao conseguir realizar.....

Eu nao falei sobre o envolvimento e participaçao do Chris la em cima porque nos primeiros meses ele estava trabalhando num ritmo infernal, entao eu passei muito tempo entre amigos, com cunhada, mas quando ele vinha pra casa, ele participava de tudo, ficava com a incubencia de cozinhar e lavar a louça, de passar a noite cuidando das mamadas pra eu dormir 12 horas direto.....de ficar de olho nele pra eu pintar as unhas tranquila, sem medo de borrar depois porque precisei trocar uma fralda....e sim, ele participou do parto, das tenttivas de amamentaçao,assistiu à todas as mudanças no meu corpo, nao me escondi atras de cinta, nao tirei ele de cena nao, somos parceiros...o apoio dele sempre foi fundamental e essas transformaçoes que chegam com a maternidade so o fez ter cada vez mais orgulho e admiraçao por mim, o que alias, é reciproco! Quando li no tal blog a moça dizendo pra NUNCA usar uma bomba de aleitamento perto do marido, eu fiquei surpresa......ok, nao é nada sexy, mas nao da pra separar as coisas? Precisamos realmente ser sexy 100% do tempo? Eu pelo menos nao sou um pedaço de carne à disposiçao, entao nao, na preciso estar impecavel o tempo todo, me permito viver a maternidade à fundo e faço questao de que isso seja vivido à dois!
A chegada de um filho realmente muda muita coisa, mexe com a nossa rotina mas eu acho que da pra ser uma fase gostosa, bem vivida......quando Alex nasceu, eu tinha visitas em casa, nao andei de pijama o dia todo, ia no parque ja no segundo dia em casa com os mais velhos e nao dormia todas as tardes, mas foi igualmente gostoso e facil. Eu so senti mesmo a chegada da Ciça, foi complicado sim reformular tudo e aprender a se dividir em dois.
Entao é isso, seu bebe chegou? Que bom, aproveite muito......a frase "passa rapido" é cliché mas é real.
Quando eu li a tal listinha do tal blog, fiquei pensando que aquilo ali broxa e da medo à qualquer gestante ou mulher que esteja pensando em gravidar, nao, eu nao sou à favor de mentir e dizer que filho é so maravilhas, que nao tem mudança alguma, mas acho uma pena a forma pessimista a qual a maternidade tem sido retratada, se por um lado as pessoas falam de um amor explosivo pela cria (a qual nem sempre é real, ao menos nao automaticamente os nascimento), depois vem uma lista de coisas que voce nao mais fara, de proibiçoes, de contratempos, a qual pode ser aliviadas dependendo da sua forma de agir!
Se voce nao da conta, peça ajuda......se esta se sentindo perdida e incompreendida, porque nao um psicologo? Ter dificuldades nao é sinal de fraqueza e procurar ajuda nao é sinal de incompetencia, é sinal de maturidade e de coragem!
Cada vez que estiver com seu bebe no colo chorando, lembre-se que depois de um tempo nem no colo ele estara.....que voce mesma talvez nem se lembre da ultima vez que adormeceu no colo da sua mae, ou seja, o tempo em que eles sao total dependentes, é muito curto em vista do tempo o qual seremos mae, e esse tempo nao voltara jamais!

sexta-feira, 9 de março de 2012

Te espero la fora!

Ultimamente, temos lido uma enxurrada de materias falando sobre a precocidade das nossas crianças, ai o que fazemos? Barramos o quanto podemos porque inocencia ate certa idade é otimo né, faz parte........é, mas de vez em quando da um trabalho!
Mathieu sempre foi inocente, alias, mais que isso, ele é coraçao aberto......acha que todo mundo é bacana, gosta de agradar ao maximo e perdoa facil, otimo né? ééééééé, na vida ADULTA, onde nos sabemos distinguir quem é merecedor disso tudo, e quem merece uma boa ignorada, talvez depois de um bom coice!
A historia começa com uma linda amizade, durante um ano, so tinha um nome nessa casa, Ceif.
TUDO era "Mas o Ceif...."- eu ja nao aguentava mais! O ano passou, férias, volta às aulas e a amizade persistiu.....Ceif pra la, Ceif pra ca, ate que eu e o pai do menino começamos a conversar na porta da escola, as crianças viviam pedindo pra se verem, tentavamos combinar mas com a correria nao rolava, ate que aproveitei uma quarta feira sem grandes pretensoes e convidei o amiguinho do Mathieu pra vir.
Nao sei se contei como foi o encontro por aqui, acho que nao......bom, conto de novo pq faz tempo que nao escrevo (e nem vou desfiar rosario contando por que!) e o dedo ta tinindo!
Tinha combinado com o pai do menino de traze-lo la pras 14:00 horas e depois busca-lo la pras 18:00, ele concordou, trocamos numeros de celular e no dia seguinte ele veio trazer o menininho.
Eu nao curti o PAI, achei ele entrao e meio que forçando confiança, ao inves de deixar o filho ele se convidou quase que pra FICAR e por pouco perdia a sessao de cinema de proposito, mas eu fiz à la francesa e praticamente pus o cara pra fora com um sorriso no rosto.
Incomodada à mil, deixei pra la, fui fazer cupcakes pra criançada......Ceif foi SUPER educado, brincou direitinho, nao fez absolutamente NADA que me desagradasse, enfim, um verdadeiro anjo!
Eu ja esperava isso dele porque rolou um episodio no ano precedente na escola, onde Mathieu deu um carrinho pra ele e a mae no dia seguinte veio devolver, eu insisti que foi dado mas ela nao aceitou, ainda mais ao ver na cara do Mathieu que ele se arrependeu.....a impressao foi otima, fiquei feliz em ver alguem acompanhando realmente o filho, se interessando, porque né, ela poderia fingir que nao viu e deixar pra la!
Voltando ao encontro, eles brincaram muito, o pai voltou pra busca-lo e me vendo resistente nao alongou muito papo.
Depois disso, estava disposta a combinar mais vezes mas o frio foi intensificando, os alfazeres tbm e com isso fui vendo uma distancia estranha do pai do menino, se antes ele fazia questao de me dar beijinho, agora ja estava me evitando.
Outra coisa que percebi, é que o Ceif estava andando com um grupo de meninos mais velho, do mesmo residencial o qual ele mora, e que como qualquer criança da idade, quando na presença desses meninos, querendo se auto afirmar, fazia Mathieu de bobo ou o ignorava.
Como achei que era coisa boba de criança, nem disse nada, fiquei so na observaçao. Mathieu parou de falar nele o tempo todo, mas de vez em quando deixava clara a vontade de "reconquistar" a amizade do Ceif.
Inicio desse ano, as coisas mudaram, Mathieu vez ou outra começou a voltar pra casa reclamando que o Ceif nao era mais amigo dele, ria da cara dele por bobeiras e que as vezes, em brincadeiras de luta batia nele......o fato revelador foi quando ele disse que nao queria mais brincar com o Ceif porque numa tal brincadeida do tipo "paf paf", no fim ele batia pra valer dando um tapa na cara ao inves de fazer de leve.
Tive que explicar pro Mathieu que isso nao era brincadeira e que era inaceitavel....comecei a ficar mais alerta mas longe de imaginar a real situaçao.
Veio as ferias de inverno, 15 dias em casa, e eis que essa semana, volta às aulas, Mathieu pede pra trazer o Ceif aqui em casa, diz que se deixar ele jogar Mario na Wii, talvez o menino pare de bater nele....bom, eu cortei na hora dizendo que isso nao era amizade, mas Chris ficou furioso, passou horas explicando pro Mathieu o que é amizade ate que cai a bomba, Mathieu em meio a conversa confidencia que de vez em quando, se esconde no banheiro com "medo" de apanhar porque os pontapés do Ceif sao fortes, e que ele é mais agil.......Chris ficou branco!
Lembrando que aqui, a politica nao é bater, nao é devolver, é se defender.....mas é muito complicado explicar pra uma criança de 7 anos a linha tenue que difere defesa de ataque.
Outro ponto, a real, apesar de nao ser o ideal, é que quem rebate e enfrenta sai rapidamente do papel de vitima, eu mesma sou prova disso, quando alguem falava mais alto eu ja estava levantando a mao e no fim, raros eram os que vinham me importunar porque eu nao tinha medo de briga, nao batia em meninas, so ameaçava, mas foram muitas as vezes em que bati em meninos.....nao, nao é bonito, mas ao menos eu nunca tive problemas, nao fui vitima de nada e nao sofri.
Chris na escola foi igual, como era pequeno, geralmente era importundado e aprendeu que se ele fosse o primeiro a bater, as chances de "ganhar" seriam maiores e o resto da escola nao o importunaria mais, e assim foi.
Voltando à Mathieu, eu insisti que ele nao deve ter medo, deveria avisar a prof e deveria se defender segurando o braço do colega, pondo as maos frente ao corpo ou segurando o pé do amigo quando fosse levar um chute.
Quarta feira como sempre, nao tem aula, estou eu jantando com as crianças quando Mathieu diz que iria precisar de sorte e que queria uma roupa bonita, perguntei o porque e ele lembrou que caso Ceif o ameaçasse, ele deveria intimidar o amigo dizendo que ia lhe socar o nariz, ja que Chris disse pro Mathieu que enquanto apanhasse, o nariz era um lugar dolorido e que sangra, o que deixaria o adversario assustado e pararia a briga.
Voltamos à questao da defesa, ele falou do que o pai ensinou, bati na tecla da defesa e por fim, perguntei o que ele queria que eu fizesse......."Nao sei mae, quero ajuda mas nao sei que tipo de ajuda!".
Fiquei com pena,disse pra ele que ele tambem é forte, que nao precisava se esconder no banheiro, mas que enfim, se continuasse, eu iria conversar com a prof!
Ontem, fui busca-lo na escola e ele veio animado me contando a novidade, nao apanhou.......foi perseguido sim, encostado na parede mas disse pro Ceif "Olha, se voce me der um chute, vou quebrar o seu nariz, e meu pai vai falar com a professora....voce nao pode me bater!"___otimo né! Resolveu, ninguem se bateu MAS a inocencia do Mathieu é tao grande, que ele disse que agora que esta tudo resolvido, Ceif bem que poderia vir brincar aqui!
Nao consegui ainda abordar a prof, tentarei hoje porque como busco Ciça antes, quando chego no portao ela ja nao esta mais por la, mas de segunda nao passa.......vou continuar de olho, esperando que Mathieu esqueça o colega por hora e lamentando que um amiguinho tao bacana, tenha se deixado levar por màs companias, talvez o jogo mude de figura, crianças sao assim mesmo, hoje amigos, amanha inimigos e no mes que vem, amigos novamente!
Voce deve estar se perguntando porque nao falei com o pai do menino, né? Pois é, nao falei porque ele agora me evita na cara dura, eu sei que ele sabe (frase estranha!) o que o filho dele tem feito, porque conhecendo Mathieu, ele ja deve ter reclamado com o cara na saida da escola, porque ele vê o filho dele agindo nas entre linhas de vez em quando e porque ele é esperto o bastante pra sacar o comportamento do menino quando entre amigos mais velhos......nao, nao vou falar, ao menos nao por agora, vou recorrer à prof, tentar reverter a situaçao e depois verei, estou ansiosa esperando pra saber se hoje vai rolar coaçao no banheiro ou apenas "trocas de gentilezas".
E tenho dito, enquanto bater no Mathieu, aqui nao brinca!