quinta-feira, 24 de maio de 2012

Postagem coletiva, Criaçao com apego - Como rola "Chez les Beaup"!!!



Entao, depois que a Time publicou aquela materia ridicula com capa chamativa a qual muitas acharam que seria uma propaganda bacana sobre AP (Attachment parenting),  muito tem se falado sobre o assunto, varios artigos pipocaram, nao li todos, alguns mais uma vez com uma visao bem preconceituosa ate que nao sei quem (porra, to informadona né!) decidiu fazer uma blogagem coletiva sobre o assunto.
Realmente nao sei daonde saiu a ideia, tenho minhas duvidas mas antes que me chamem de louca (talvez irao me chamar por ser adepta dessa coisa estranha!), muitas amigas queridas adeptas da mesma droga do amor fizeram pub em seus Facebooks e no ultimo 30 minutos do dia 23 de maio (mentira, o PC pifou à meia noite e agora sao 09:02 do dia 24 de maio!) consegui me sentar aqui e escrever minha experiencia e relaçao com isso tudo!

Quando tive Mathieu, ao contrario de muitas adeptas (parece papo de seita, BOO!) eu nao tinha lido nada, nao sabia de nada, so sentia.......a questao foi essa, SENTIR. fui guiada pelo Mathieu, ao inves de estabelecer regras e metas, quis conhece-lo, ver como funciona um bebe, como rolaria ELE no natural, e assim sem saber fui praticando o tal do AP.

Alias, voce deve estar perguntando que merda de AP é esse, entao, é criaçao com apego, é se deixar guiar pelo bebe......amamentar prolongadamente, praticar cama ou quarto compartilhado, respeitar SEMPRE a maturidade do bebe e seu tempo nao propondo desfralde antes da hora, nada de desmame abrupto, usar Sling/Wrap pra carrega-lo, alias, COLO é importantissimo,nao deixar chorar pra dormir de maneira alguma.......e muito mais! Mas o resumao mesmo, seria RESPEITAR o tempo e desenvolvimento do seu filho!

Voltando ao foco, eu nao consegui amamentar Mat, era MUITO ignorante no assunto, achava que era automatico, nao sabia nem que o povao colocava tempo minimo e maximo pra aleitamento de acordo com seus preconceitos, nao sabia o que era aleitamento exclusivo.....nao sabia NADA! Mas na questao de apego, foi instintivo, apesar das mamadeiras cheias de Guigoz!

Sempre ouvi aquela coisa de "Cuidado, se der muito colo ele vai se acostumar mal!"......mas ao mesmo tempo, olhava ele no bebe conforto me olhando e me dizia, "Porra, pra que fazer um filho pra largar ele ali? To aqui sem nada pra fazer, porque nao posso passar o dia com ele nos braços?" e assim pus o BB conforto de lado.......brincava de boneco o quanto dava e percebi o quanto ele crescia tranquilo.
A mesma questao foi a cama compartilhada......chegamos em casa da maternidade, eu tentando loucamente amamentar deitada, achei gostosinho ter ele ali, Chris tambem.......alias, na maternidade tomei esporro das enfermeiras por ficar com ele na cama e dormir agarrada.
Entao um dia eu deitada olhando pro berço insistentemente, ouvi Chris dizer "Por que nao deixa ele aqui conosco? cheiro de bebe é tao bom....."   e assim foi! Berço? So pra brincar alguns minutos e com Ciça e Alex nem montei, pra nossa cama direto!

Nessa época eu ja tinha orkut, mas usava pouco, nao tinha me apegado à comunidades, lia algumas onde as maes.....bof......meu bebe tem colica e da-lhe remedinho.......como fazer meu filho dormir a noite inteira com 40 dias.......ate que achei a Soluçoes para noites sem choro. Nao, nao tinha problemas com Mathieu na questao do Sono mas gostei muito de ler Andreia Mortensen, e dali segui caminho pra outras comunidades onde tive a oportunidade de ler material e ver que o que eu achava ser loucura minha, tinha nome e outros adeptos.....porque era isso, em rodas de amigos eu e Chris eramos os doidos, e ainda somos, mas ao menos HOJE eu sei que nao somos unicos e que tem bastante senso, como imaginava, toda essa nossa questao de criaçao com carinho.

Alias, bom falar no Chris, aqui em casa ele foi fundamental pra que eu pudesse dar asas ao meu instinto, sempre tive o apoio dele pra qualquer decisao que tomasse, ele sempre foi o primeiro a levantar a bandeira do amor, do carinho......do apego mesmo, que uma vez seguindo isso, nao tem erro! Criança crescendo feliz, pais felizes aproveitando todas as etapas.

Muitas pessoas acham isso tudo trabalhoso, é um medo terrivel da DEPENDENCIA........olha trabalhoso é nao seguir instinto, a sociedade atual se acostumou tanto a seguir o contra senso que realmente tudo isso parece dificil.
Muitas vao pensar "Ahh Ju, voce nem trabalha fora!"......pois é, mas se trabalhasse, nao faria diferente nao, seria mais um motivo, assim como tenho amigas que apesar de trabalharem fora levaram tudo adiante.
A questao da dependencia tambem é relativa, criança nao é independente, é autonoma.....ela sera SEMPRE dependente, se nao fosse, nao teriamos razao de existir. Encurtar esse prazo nem sempre é boa jogada porque la na frente tudo é cobrado, fora que gente, se é um periodo passageiro, porque nao viver? Por que nao aproveitar?

Outras pessoas perguntam sempre.....e a vida do casal?
Nao muda em nada. Tem sim mulheres que usam o artificio de por filho no meio quando algo vai mal pra  afastar o parceiro sem dar na pinta mas isso nao tem nada a ver com a questao do apego ou com o bebe, tem a ver com falta de sintonia do casal.
   Aqui em casa marido nunca ficou de lado, ate porque, estamos em sintonia.....ambos vivendo maternidade/paternidade à fundo.
A participaçao do pai é FUNDAMENTAL, obrigatoria......nao é ajuda, nao é favor, é somente preencher o papel de pai!
Nos temos nosso tempo, temos conciencia de que essa doaçao maior é passageira e temos certeza tambem de que colheremos bons frutos.

Enfim, do Mathieu pra ca muita coisa evoluiu, Ciça e Alex tiveram outras oportunidades, a chance de uma mae mais informada que conseguiu aleitar a segunda ao menos tres meses (FAIL AGAIN!) e que amamenta "ainda" (odeio esse ainda) o terceiro que daqui a dois meses completara tres anos.

Entao pra voce que conseguiu ler ate aqui, nao tem cartilha à seguir, apesar dos preceitos que a AP envolve, é seguir o coraçao, o fluxo, o NATURAL.......colocar os pitaqueiros de lado, focar na criança.
Depois de uma enxurrada de textos sobre DPP e culpa materna, essa porcentagem pequena que faz e recomenda AP vem sendo apontada como culpada por isso tudo, porque dizem que as outras mulheres nao conseguem seguir e se sentem culpadas, que focalizar na criança é esquecer da mulher, gente.....pera la né! Se a pessoa tem convicçao no que faz e esta tao certa de si, porque se incomodar com uma minoria? Agora se voce ficou balançada, se questiona, preste atençao no que VOCE quer e no que voce ACHA que quer de acordo com os outros, muitas pessoas tem medo de julgamentos......gente, nos SEMPRE seremos julgados, sempre tera alguem pra dizer que voce esta errando, nao esta fazendo o suficiente e é essa a importancia da convicçao, de escolher conciente!
Eu e Chris ja fomos chamados de tudo, afinal, nao é qualquer casal aqui que dorme com filhos, que tem "cama gigante", que da prioridade à meninada e se diz feliz.....mas e dai? Importante é o que se passa da porta pra dentro, é o que nos achamos, sao os resultados disso tudo que tem sido super satisfatorio!

Bjos da louca que apesar de ter tres filhos e praticar AP, tira tempo pra fazer unhas, sexo, sair com as amigas e comer chocolate!

terça-feira, 22 de maio de 2012

Tenha um tempo para si!

Ultimamente eu tenho visto cada vez mais aumentar o numero de maes sobrecarregadas, muitas cuidam dos filhos e da casa praticamente sozinhas, outras ainda trabalham fora, é um acumulo doido de obrigaçoes e no fim é criança tomando esporro porque falou num momento onde essa mae so queria silencio.

    Algumas nao tem mesmo com quem contar,moram longe da familia, nao tem empregada (tipo eu!), outras esquecem que PAI tambem serve pra cuidar da criança, tirando aquelas que apertam o automatico e so param quando o corpo pifa de vez!
   Eu estou em casa ja fazem 8 anos, nesse tempo todo o foco sao as crianças, se Chris esta por aqui, da uma aliviada, quando nao esta, eu tenho que me virar mas NUNCA deixo de lado meu momento ou um pequeno prazer, ainda que a roupa nao esteja lavada, a louça esteja na pia ou brinquedos estejam fora do lugar.
   Semana passada passei dois dias na casa de uma amiga que nao desliga nunca, se voce nao obriga, ela nao senta.......eu tive que lembra-la que uma casa com crianças tem SEMPRE algo à ser feito, mas da pra esperar, pode ser daqui a duas horas, pode ser amanha. O trabalho nao tem fim entao nao adianta correr pra fazer tudo, esse "tudo" nunca sera alcançado! Eu prefiro trabalho em pedencia e bom humor com a garotada à ter tudo no lugar mas sempre gritando, reclamando e querendo matar um porque entornou algo no chao que acabei de limpar.

    Entao fica aqui duas dicas que eu levo super à serio e funciona!



    ROTINA


                Gente, eu demorei pra aprender.....so com a chegada da Ciça e entrada do Mat na escola é que vi o quanto é importante. Tah, eu nao sou das mais regradas, abro exceçoes numa boa e quando saio nao fico na neura MAS é bom demais quando da nove da noite e estao todos na cama roncando. Eu dependo disso pra poder ter meu tempo, ver TV tranquila, me ocupar na net, fazer unhas, tomar um banho demorado, comer minha sobremesa em paz. So abro mao disso em periodo de ferias, mas no resto do ano é necessidade, nao vivo mais sem!



         

DELEGAR TAREFAS




                              Tem mulheres/maes que tem uma dificuldade absurda em delegar, umas levam aquele conceito enraizado de que tem que dar conta de tudo, de que é papel da mulher, outras ficam na neura de que ninguem fara bem feito, que dara tudo errado e entao preferem nao contar com ninguem. Cortem essa gente......realmente, as vezes o pai vai escolher uma roupa que voce nao aprova, a avò vai dar uma sobremesa que voce nao daria mas deixem isso de lado, se é vez ou outra, nao tem problema, ninguem vai morrer, a criança nao ficara mal acostumada. Verdade que Chris nao é do tipo pai atrapalhado, ele da conta de boa, mas ja colocou camiseta de pijama pra Ciça ir ao parque.....e dai? Todo mundo vivo!
    Querer um tempo so seu, ate sem marido, nao é abandonar familia, nao é ser menos alguma coisa, nao é ser incapaz.......eu adoro sair sozinha com amigas (ja que nao da pra sair com Chris), preciso desse tempo so meu pra nao ficar mau humorada.
    Respirar criança 24 horas do dia por anos e anos é complicado, se nao rolar esses tempos de folga, a mulher acaba esquecendo de si, ficando sem paciencia e no fim, nem bom pros filhos é!


          Eu poderia ter um apartamento bem mais arrumado e limpo, mas pra que? Nao troco minhas horas de parque e sofa com as crianças por nada disso, nem meu tempo de ocio aqui na net.......a ultima coisa que quero é ser lembrada como a mae que nao tinha tempo ou paciencia.
         Entao é isso, se voce tem ficado sem apciencia com o pequeno, se nao tem tido vontade de brincar, se tem respondido de maneira brusca, repense ai na qualidade do seu tempo, no que voce tem feito por si!

segunda-feira, 14 de maio de 2012

"Bastava um olhar......."





Sempre que rola papo sobre filhos e educaçao, falamos sobre limites, falta de e a frase que mais ouço, ainda mais de quem ja cruzou a quarentena é "Nossa, naquela época bastava um olhar de mamae pra eu gelar/parar/obedecer......" e muitas das vezes, ouço tambem o similar de maes mais velhas, que ja tem filhos pre adole ou adole dizendo a mesma coisa, que basta elas olharem pra paralizar o meliante.
Nao, comigo nao da certo nao.......alias, nunca deu e pelos dois sensos, um olhar desses nunca me pos medo, sempre fui atrevida e esperta demais pra encarar, tinha noçao exata dos limites de quem tentava me intimidar com um olhar, afinal, prestar contas à Jorge Murillo ninguem desejava.
Tambem nao da certo com meus filhos, quando falo isso o olhar das pessoas é engraçadissimo, algumas passam do olhar duro, que "intimida" e poe medo em seus rebentos para aquele olhar de surpresa tipo Regina Duarte em algumas cenas, onde ela se perde com olhao esbugalhado.......pois é, aqui, nao funciona!



"Ué, como assim? Quem manda nessa casa?"------ EU, mas e dai? Sabe por que isso aqui nao funciona? Porque meus filhos nao tem medo de mim, sim, eles sabem que nao vou sentar a mao, nao vou gritar (mentira, as vezes grito sim mas em outras situaçoes), nao vou tirar a pele da bunda de ninguem, nao vou quebrar nada, enfim, tirando a consequencia dos atos deles as quais ELES, crianças inteligentes que sao ja previam, nao tera nada de novo, nada de horroroso!
Acho que nem se eu fisesse aulas na melhor escola de dramaturgia um olhar desses funcionaria aqui em casa, nao da......nao tenho esse poder paralizante e intimidador e tambem nao quero ter, ate porque, eu nao ameaço, eu mando literalmente recados.....nao brinco com limites de ninguem, nem meu e nem dos outros.
Tambem nao tenho interesse em ver meus filhos aparentemente obedecendo por medo, ate porque, isso na primeira infancia onde a confiança é extremamente importante, seria justamente uma demonstraçao de que eles nao confiam em mim, nao me conhece, que tem medo das minhas atitudes, que duvidam da minha capacidade......to fora, deixo meu olhar de furia AK47 pros outros!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

O poder das palavras.

Faz um tempo que tem rolado grands concientizaçoes sobre alguns termos que usamos no dia a dia, o preconceito saiu de moda, muitas pessoas decidiram colocar a boca no trombone e com isso o que era aceito ontem, acaba sendo super mal visto hoje! La em casa sempre fomos instruidas à nao falar palavrao, é verdade, mas ninguem nunca pensou no resto entao no meu caso, cresci chamando gente lerda de debil mental ou retardado, gente atrapalhada de paraiba, usando a expressao "neguinho" ao inves de povo, e depois de certa idade, onde o palavrao acaba chegando, era comum usar vagabunda, puta, filho da puta........e ninguem nunca parou pra pensar em nada, era costume, todo mundo fala, eu tambem falo, aquela coisa de ser arrastado pela maioria. Desde que Matheu começou a falar, eu tentei freiar os palavroes, no fim, acabei falando em portugues achando que ele nao iria entender......veio Ciça, veio Alex e veio o entendimento. Mathieu ja usou "puta que pariu" de forma exemplar, foi ali que percebi que estava fazendo merda, melhor mesmo seria parar de falar. Nao, nao parei......mas na frente deles nao falo mais e parei pra pensar que certas coisas que estava falando, alem de nao serem exemplos, eram horrorosas, como o "filho da puta". Qual é o problema de ter mae puta? Alias, conceito de puta é bem relativo né, tem de todo tipo e pra todos os gostos. Qual é o problema em ser vagabunda? Pensa ai....eu nao vejo nenhum, cada um da o que tem e a gente so atrai o que deixamos, todos adultos, se um o outro nao tem conciencia ja nao é problema apenas da vagabunda ou vagabundo, né? Alias, ja percebeu que vagabunda é pra mulher "vulgar", namoradeira......ja vagabundo, é pra homem preguiçoso? Tem coisa mais escrota do que isso? Palavrao moldado de acordo com a mentalidade MACHISTA? Pois é, parei de usar......mas olha, é MUITO dificil voce abandonar expressoes que voce passou mais de 20 anos falando, o "puta que pariu" mesmo poderia sair escrito como PQP em varios lugares e vontade de falar nao falta, nao tem nada a ver com o significado, mas é habito. As vezes nao percebemos o quanto certas coisas que falamos de boa, pode machucar os outros......mesmo que no fundo o sentido que voce dê nao seja esse! Por que "paraiba"? So tem gente lesa e atrapalhada por la? Olha que troço preconceituoso! Ja estava decidida à mudar meu vocabulario, o sentido que dou à algumas palavras, nao vejo necessidade de passar preconceito e ignorancia àdiante, ainda que sem maldade no coraçao. Ai tah, eu em plena mudança no campo das palavras, faço outra constataçao, que pessoas quando intimas se falam de forma grosseira! Gente, eu vou morrer sem entender um casal que em meio à uma briga solta um "escrota, vagabunda, filha da puta, ridicula, gorda, burra, lerda......" ou que solta os mesmos mas no masculino, nao da! Alias, nem precisa xingar nao, mas falar de forma grosseira, discutir na frente dos outros, ficar diminuindo o outro no meio da roda de amigos.......acho que tudo isso vem de habito, de achar que todo mundo acha normal! Alô garotada, tem um casal aqui que nunca se tratou dessa forma e ate hoje nao entendeu o objetivo, ja que quem escolhe ficar com alguem denominado (por aqui um palavrao), nao é muito inteligente né? Fora que magoar pessoas que amamos? Sei nao...... Ainda na roda viva.....ontem no parque a filha de uma conhecida tascou um tapa na cara de uma criança e quando repreendida pela mae da outra criança, mandou ela calar a boca e disse que a mae dela nao estava ali. A irmã mais velha estava por perto e chamou a moça apontando sua mae e ja chegou contando pra mae o que a irma mais nova tinha feito. A outra senhora veio contar novamente e a criança tomou aquele esporro seguido de um "venha sentar aqui imediatamente senao......." . Ai voce fica em duvida, ela veio pro banco chorando e obedeceu......medo? sera? Sim ou com certeza? As duas opçoes.....ja que minutos depois, a mae no maior carinho briga com a garota por ter novamente machucado um colega dizendo que iria "trucidar a cabeça" dela. Quando ela falou trucidar, fazia tanto tempo que nao ouvia aquilo que rolou um choque, ai fiquei esperando, pra ver o que seria trucidado......a cabeça ué! Tem melhor? Ainda nessa familia, ha uma semana e meia no parque, a menina mais velha foi em casa rapidamente pegar o ratinho dela (eles moram ao lado do parque!), a mae do meu lado conversando, eis que chega a menina dizendo "Mae, quem foi o idiota que largou o leite na geladeira fora da porta? E quem foi o idiota que entornou e largou la? ----- a mae responde : Nao sei, mas eu nao fui hein!!!!!------- pois é mae, tive que limpar! Tem que avisar de novo que o leite é na porta! Da licença, a menina tem sete anos ok......SETE anos, e ja chama os outros de idiota, acusa a mae que responde nao querendo ser a idiota e fica tudo na mesma, afinal, qual é o problema? Chata sou eu né, que fico caçando problema onde nao tem porra.......qual é o problema de falar normalmente? Agora vao ter que ficar pisando em ovos? Coisa chata hein........ Eu so sei que tenho prestado cada vez mais atençao às palavras alheias e nao tenho gostado do que ouço, decidi mudar. Vivo falando na questao de EXEMPLO, acho mais importante do que qualquer outra coisa na educaçao dos nossos filhos porque nao adianta falar, tem que MOSTRAR, PROVAR, e é por isso que as vezes quando derrapo, imediatamente me desculpo com as crianças dizendo que eu disse besteira. Nao quero meus filhos achando que é normal tratar proximos de idiota, burro ou escroto, nao quero meus filhos futuramente ouvindo de seus namorados esses tipos de palavras, como se fosse normal se agredir, nao quero eles passando à frente expressoes que possa magoar alguem, acredito tanto, mas tanto no poder da palavra, que estou procurando ha semanas um similar pra "vai tomar no cu", porque né........ta cheio de gente que GOSTA!

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Qual é o problema do apego?

Ultimamente nao tenho tido paciencia pra escrever, nao é que falta assunto mas geralmente envolve terceiros e nao quero ninguem lendo e se vendo aqui, vestindo carapuças, entao de duas uma, ou eu escrevo um ano depois, ou largo de mao. Na correria, a segunda opçao tem ganho! O "problema" atual é a questao do apego, é fato que as pessoas nao querem um bebe apegado, por que? Nem elas sabem, alias, outra coisa que tem me cortado a paciencia é ver pessoas falando as coisas sem nem terem noçao do que estao dizendo e se voce "traduz", ainda ficam putas se vendo na arapuca, mas é aquilo po, se informem antes de defenderem alguma coisa, sejam coerentes, defender A porque a maioria dos amigos defendem é complicado né! Alex esta com 2 anos e dez meses, mama (nao vou colocar o "ainda", ele mama e ponto)e pra muita gente ele é apegado demais, obvio que é culpa do aleitamento né, mas se nao amamentasse, seria culpa minha por dar colo demais, dar carinho, atender a qualquer momento e o erro fatal, dormir juntos! Agora sério, ele deveria se apegar à quem? à vizinha? Na nossa realidade atual, adultos os quais ele tem contato permanente somos o pai e eu, de vez em quando os padrinhos dele e so, passamos um bom tempo sem ir na casa dos avos por problemas tecnicos de transporte e logistica, entao a referencia dele é pai e mae, mas o povo acha pouco, ele deveria ser A simpatia em pessoa, ter confiança em qualquer adulto de rua, sorrir, aceitar ficar em lugares estranhos com gente estranha, TUDO o que nos falamos pras crianças nao fazerem por questao de perigo/segurança mas que quando nos arranja, eles deveriam fazer. Ciclana diz pra filha nao falar e nao ir com estranhos, mas no primeiro dia de aula, acha que fulaninha tem que entrar contente e feliz num lugar que nunca viu pra ficar com uma tia que ela nao conhece, cade a coerencia? Ok, meus dois mais velhos por exemplo nao deram trabalho no primeiro dia de aula, mas e dai? Eu acho que Alex sera diferente, acredito na personalidade dele bem mais fechada que os irmaos, mas ja sei que vou ouvir que é o aleitamento ou que ele é apegado demais, agora vir aqui ficar com o muleke pra eu fazer uma compra e ele desapegar, quem quer? (eu tbm nao quero, ok!)Ele nao pode sentir insegurança de estar num lugar estranho com desconhecido, ainda que EU diga que vou voltar pra busca-lo? Mas o que me intriga nisso tudo é que na idade adulta, as pessoas nao sao tao diferentes disso nao, so que o apego delas é justificavel (inventei ou existe?), mulher que diz que NUNCA dormiu sem marido, que nao conseguiria ter um que viaja à trabalho e se vira pra estar sempre juntos, nao sao apegados? E isso é visto com normalidade né? Pessoas que se mudam à 100km da familia e fazem o maior drama, parece que a vida acabou, o mundo explodiu......ai vem depressao, vem mimimi, tudo com muito apoio dos amigos e palavras bonitas, ja um bebe nao tem nada disso, ele TEM que aceitar o que é imposto e pronto. Outra coisa que tem enchido o saco de tal forma é essa mania de por tempo exato pra tudo, é tempo exato pra falar, andar, desfraldar.....a realidade das pessoas e personalidade da criança mal é levada em conta, ok, concordo que tem uma idade referencia pra tudo isso, mas esta ficando insuportavel a rotulagem de crianças que passam fora desses criterios, a preocupaçao exagerada dos pais, a pressao.....Alex mesmo nao esta nem ai pra ser desfraldado, ja passou dos dois anos faz tempo, mas nao esta na hora dele, e ai? E ai, que ja é o bastante pra algumas pessoas e profissionais se preocuparem e quererem achar à todo custo um rotulo, um nome de doença, sindrome, qualquer coisa que explique porque de um menino de dois anos e dez meses nao falar grande coisa e nao querer desfraldar. Apesar de nao ter saco pra aturar reflexao de gente de fora, eu nao fico preocupada e nao acho nada demais, mas é desgastante ter que explicar pras pessoas que ele nao é um ET, pra maes desesperadas que estao na mesma que seus filhos nao tem NADA. Ultimamente tenho ouvido falar bastante no espectro autista, acho OTIMO informaçao à balde e melhor ainda pessoas encontrando diagnostico e ajuda efetiva pros seus filhos, mas em contra partida, acho péssimo essa preocupaçao em massa e essa rotulagem......corre e pula demais? é hiperativo, é bebe demais? autista......saco, um SACO! Parece que atualmente o importante é criança ser desapegada e aprender tudo na velocidade da luz, pra que? So por comodidade, pra dizer que o filho esta na média.....agora beneficios mesmo, pra que? Acho que vale como reflexao o que VOCE espera do seu filho, o que voce quer dele, se é ele encaixado numa maioria ou feliz e saudavel, porque a maneira a qual as pessoas veem a maternidade e desevolvimento infantil hoje em dia, nao é a melhor nem de longe! Antes de querer seu filho como todos os "outros", procure enxergar o que isso trara de bom pra voces, e nao tenha medo dele ficar apegado nao, TODOS somos apegados, ser humano é carente por natureza e bem melhor ter pai e mae como referencia e porto seguro à qualquer um ou nenhum.